Blog

Insights de gestão para você antecipar, assimilar e solucionar os seus desafios de negócio

Use a força da marca empregadora para atrair talentos
A força da marca empregadora é um recurso para atrair os melhores talentos disponíveis no mercado e fazer com que haja motivação valorosa entre eles!

Conecte-se

[addthis tool=addthis_horizontal_follow_toolbox]

A força da marca empregadora e os valores que a ela foram atrelados ao longo da história da sua empresa podem ser decisivos no momento da seleção. Portanto, use-a e atraia os melhores talentos!

Ao sair para fazer compras, você pode perceber, logo no momento em que se dirige a uma loja, o poder de sedução que uma marca tem.

Portanto, usar a força da sua marca em momentos como seleção, recrutamento, treinamento e consolidação da relação de trabalho é uma atitude poderosa para tornar sua equipe ainda mais competitiva.

A força da marca empregadora: de que forma utilizá-la para melhorar processos de recrutamento?

Em uma pesquisa feita no LinkedIn, 72% dos líderes de recrutamento entrevistados foram categóricos em suas respostas.

Sim, eles disseram que a força da marca empregadora tem um peso fundamental e impacta de forma muito positiva no processo de seleção e contratação.

Esse impacto pode ser traduzido por meio dos seguintes números:

  • 39% dos líderes de recrutamento afirmaram que a força da marca empregadora será uma grande tendência para facilitar os processos que eles conduzem;

  • 55% já aplicam estratégias de recrutamento que utilizam a força da marca empregadora;

  • 59% investem mais do que antes em processos de fortalecimento da marca para otimizar a contratação;

  • uma marca forte pode reduzir em até 28% o seu turnover;

  • a força de uma marca empregadora pode fazer com que o processo de seleção se torne duas vezes mais rápido, quando comparado ao de uma organização fragilizada ou pouco conhecida;

  • uma marca já consolidada atrai até 50% mais candidatos com alta qualificação.

As novas gerações e a força da marca empregadora em processos de seleção

Esses dados tornam-se ainda mais relevantes quando observamos o comportamento das novas gerações de trabalhadores.

Em um mundo cada vez mais diverso e complexo, é comum já ouvirmos entre os jovens aquilo que antes se reservava apenas aos mais experientes: “eu decido onde e quando quero trabalhar”. E isso, mesmo que em um primeiro momento possa parecer só sintoma de arrogância, é muito bom para a sua empresa.

Isso porque, ao consolidarmos a força de uma marca, enobrecermos a organização e encurtamos um duro processo. É assim que atraímos, sobretudo, quem realmente se identifica com a nossa forma de fazer negócios.

Assim, a força da marca empregadora se faz ainda mais importante: se, primeiramente, o seu nome faz olhos brilharem, em um segundo momento, é a sua reputação que faz diferença.

E é justamente por conta dessa boa reputação atrelada à força da marca empregadora que a gestão de talentos é ainda mais desafiadora.

Com o alto poder de atração já relacionado ao recrutamento, o engajamento e a aderência também são afetados significativamente.

Dessa maneira, diminuímos também a alta rotatividade de colaboradores e, sobretudo, de talentos.

Um caso prático: a atuação da Tigre

Com mais de 6,5 mil funcionários, a multinacional brasileira Tigre aplica com sucesso uma das melhores experiências de employer branding atuando a favor da contratação.

No evento R&S, de junho de 2019, Rodrigo Masao, sócio da Empower, palestrou sobre o processo de desenvolvimento da estratégia de recrutamento da Tigre.

Focando seus esforços no início de carreiras, a Tigre aplica processos de seleção que envolvem os seus candidatos antes mesmo deles saírem da universidade.

Assim, com a ajuda da força da marca empregadora, construída em torno dos seus tubos e conexões, o seu programa de estágios já observa também os processos de carreiras e construção de lideranças.

A experiência da força da marca empregadora no recrutamento: a experiência da Tigre e o “chegar antes”

Em 2016, quando a Empower passou a fazer parte do processo de recrutamento da Tigre, um programa de estágios robusto foi instituído.

Dessa maneira, fazendo parte do dia a dia dos estudantes das melhores universidades e de suas organizações estudantis (como as empresas juniores), a Tigre passou a recrutar graduandos para o seu programa.

Como empresa mentora, a Tigre começou a investir em campos experimentais, de forma que os estudantes pudessem ser contemplados em seus interesses.

Com projetos de engenharia, negócios e eventos, a empresa estabeleceu mais de 40 parcerias lideradas por estudantes universitários.

Distribuídas em todo o território nacional, as parcerias se estabelecem em instituições de ensino próximas aos polos industriais da Tigre, onde existem programas de estágio instituídos.

Já com mais de 2 mil jovens impactados, a força da marca empregadora trouxe um saldo positivo em relação ao investimento.

Assim, foi construído um processo de seleção de estagiários observando talentos e focando em futuras carreiras.

Gerando valor e experiências significativas entre os jovens: a Academia Tigre

Visando a força da marca empregadora, a Tigre também desenvolveu estratégias para ser mais atraente para o público jovem.

Em 2018, a empresa realizou 52 ações de relacionamento em parceria com universidades e impactou mais de 2 mil jovens.

Seja indo até ao ambiente acadêmico, seja trazendo os estudantes para as suas quatro plantas, a Tigre participou e realizou:

  • 22 visitas técnicas;

  • 12 palestras;

  • 2 hackathons, oferecendo desafios de negócios com implementação e aplicação garantidas.

Um dos maiores eventos organizados pela empresa para a consolidação da força da marca empregadora para além do mercado foi a Academia Tigre.

Realizada no último ano em ambiente online projetado especialmente para o evento, foram feitas cinco lives com os gestores, com temas selecionados pelos próprios estudantes por meio de suas organizações estudantis.

Em um bate-papo com a alta gestão da Tigre, os assuntos abordados foram vida e carreira, venda de projetos, internacionalização da marca, inovação em modelos de negócios e gestão de pessoas.

A parceria ainda prevê que as próprias organizações estudantis possam falar dos resultados do programa.

Assim, sem intermediários, a força da marca empregadora atinge, na linguagem do grupo focado, suas estratégias de captação de talentos.

Somente em 2018, os parceiros realizaram 247 postagens em redes sociais falando de suas experiências em seus próprios perfis.

Portanto, por meio de uma identidade que se comunica facilmente com estudantes, a Tigre se torna mais relevante no meio acadêmico.

Dessa forma, com a força da marca empregadora, fortalece ainda mais a ideia de que é uma empresa inovadora.

Investindo na educação e no bom relacionamento com os jovens, a Tigre aumenta seu capital institucional. Mas vai além disso. Com essas ações, cria o desejo em seus futuros colaboradores de fazer parte dela.

O que a sua empresa faz para fortalecer a marca empregadora?

Autor

Flávia Lima

Flávia Lima é jornalista pela PUC-SP e pós-graduada em Comunicação e Marketing pela ECA/USP. Possui ampla experiência como jornalista setorizada. Atualmente, é gerente de conteúdo da Blueprintt, responsável pelo planejamento de congressos corporativos nas áreas de RH Estratégico, Marketing e Tecnologia da Informação.