Blog

Insights de gestão para você antecipar, assimilar e solucionar os seus desafios de negócio

HR Summit 2018: o que mudou nos últimos 10 anos e o que esperar para o RH?
São muitas transformações ocorrendo simultaneamente e a área de Recursos Humanos precisa se preparar de forma ágil e precisa. Veja como.

Conecte-se

[addthis tool=addthis_horizontal_follow_toolbox]

O que mudou na área de Recursos Humanos (RH) nos últimos 10 anos? E como se preparar para o futuro do setor, de olho na revolução digital?

O departamento, que tem como propósito o de trabalhar com e para pessoas, precisa saber como aprimorar as relações humanas em um meio cada vez mais inovador, digital e tecnológico.

Cada vez mais as decisões, antes baseadas em opiniões e conceitos, estão concentradas em análises de dados, que trazem argumentos mais sólidos e tangíveis para os profissionais do departamento.

“Isso vale para recrutamento, retenção e envolvimento dos funcionários, gestão de talentos, entre outros fatores. Além disso, no RH existem muitos processos repetitivos, que podem ser automatizados e, com isso, obter mais eficiência e velocidade”, explica Flávia Lima, gerente de conteúdo da Blueprintt.

Por isso, a revolução digital foi o tema central do HR Summit 2018, o principal encontro de líderes de Recursos Humanos do País, realizado nos dias 23, 24 e 25 de outubro pela Blueprintt em São Paulo.

Há 10 anos, o congresso trata dos temas mais estratégicos da área de RH na visão dos líderes da área (diretores e vice-presidentes) e também das suas relações com os principais stakeholders.

“Durante a pesquisa de conteúdo que fazemos antes de pensar a programação do evento e convidar os palestrantes, muitos gestores ouvidos falaram sobre a necessidade de o RH se reinventar”, explica.

Flávia refere-se ao mundo globalizado, em que surgem novas tecnologias o tempo inteiro: o RH precisa se modernizar e adequar-se à essa nova realidade.

Para mostrar como esses desafios têm sido tratados na prática, foram chamados diretores de Recursos Humanos de grandes empresas, além de especialistas do setor e de liderança. Veja, a seguir, as principais lições do HR Summit 2018.

Em busca das melhores soluções para o RH

Para você entender melhor como esse tipo de evento acontece, vamos explicar também como funciona a curadoria dos eventos da Blueprintt: um gerente de conteúdo, jornalista, é quem define quais são as palestras e temas-chave do evento.

Para isso, ele faz uma série de entrevistas com especialistas do setor e tenta encontrar quais são os gargalos que o evento pode resolver e quais cases de sucesso do mercado.

Embora generalista, já que o congresso trata de diversos temas relativos à área de RH, os participantes do HR Summit esperam ouvir palestrantes renomados e cases práticos de grandes empresas.

RH HR Summit 2018

Nesse sentido, os palestrantes convidados são, em sua maioria, diretores, CHROs e CEOs das companhias que figuram na lista das 1.000 maiores do País. As apresentações buscam trazer soluções para alguns dos problemas comuns e pertinentes ao setor.

“Nosso desafio era inserir na agenda do evento discussões e casos práticos relacionados a essas preocupações. Transformação digital, diversidade e inclusão, reflexos da Reforma Trabalhista, People Analytics, cultura organizacional eram alguns dos temas mais relevantes para o evento. Desse modo, tentamos levar para o congresso palestrantes que falariam com propriedade sobre cada um desses assuntos”, explica Flávia.

Tecnologia no RH

Quando se fala em tecnologia na área de Recursos Humanos, muitas dúvidas logo ocorrem:

  • Como tomar decisões baseadas em dados?
  • Quais ferramentas investir para que tragam, de fato, resultados ao departamento?
  • Como preparar os funcionários para toda essa transformação exigida pelos avanços tecnológicos?

Tecnologias como Big Data, Robótica e Inteligência Artificial estão ganhando cada vez mais espaço na gestão de pessoas.

Para mostrar na prática como usar tecnologia em Recursos Humanos, foram convidados gestores de RH da Tokio Marine, Nestlé do Brasil e DowDupont para debater sobre o assunto.

A Tokio Marine desenvolveu um chatbot para reduzir em 60% as chamadas telefônicos na área de Recursos Humanos, elevando a produtividade e os resultados da área.

Já a Nestlé do Brasil e DowDupont mostraram como preparar colaboradores para pensar digitalmente e elaborar ferramentas extremamente acessíveis e úteis.

Especificamente sobre People Analytics, a Blueprintt convidou a diretora de RH do Google, Mônica Santos, que explicou como o companhia gerencia seu banco de dados sobre as pessoas e o utiliza de maneira a contratar mais assertivamente.
 

 

Futuro do líder

Para Sandro Magaldi, co-autor do livro Gestão do Amanhã, se preparar para a quarta revolução industrial deveria estar na pauta de todo e qualquer executivo da atualidade.

“As transformações não dizem respeito à tecnologia e, sim, às pessoas. Porém, a tecnologia é onipresente. Então temos que unir o conhecimento das pessoas e prepará-las para utilizar as tecnologias mais adequadas”, pontua.

A visão é muito próxima ao que acredita Sergio Piza, diretor de RH Klabin e autor do livro O Enigma da Liderança. Qual é o papel do líder nos novos tempos digitais? 

“Compreender o contexto é muito importante porque se eu tenho um time que entende o seu propósito e a diferença que cada um faz no todo, ele consegue trabalhar em alta performance”, afirma.

Dentro de todas as transformações tecnológicas que estão sendo implementadas, a preocupação sobre como se conectar com seus colaboradores chegou ao entendimento da importância do propósito.

Sofia Esteves, presidente do Conselho da Cia de Talentos, trouxe ao HR Summit 2018 uma importante visão sobre o futuro do RH e como os profissionais podem se preparar para esse novo mundo.

Segundo a especialista, empresas e profissionais caminham cada vez mais juntos, com objetivos em comum. Por isso, a tendência é ter cada vez mais profissionais com repertório expandidos exatamente para apoiar que as empresas sejam mais inovadoras.

O trabalho do futuro foca seu olhar nos profissionais: está na hora de desmistificar o líder super-herói e trazer menos hierarquia e mais responsabilidade.

É o que também acredita o speaker internacional do HR Summit 2018 Tom Haak. Diretor e fundador do HR Trend Institute, ele falou sobre como a tecnologia está mudando a rotina das empresas e dos empregados em todo o mundo.

A importância da diversidade

Diversidade é outro assunto pertinente do setor porque faz parte do DNA de Recursos Humanos. A missão não é exclusiva do RH, mas as ações acabam saindo dessa área por ser exatamente a porta de entrada de profissionais com diferentes perfis e realidades.

O ex-CEO da Bayer, Theo van der Loo, falou sobre a importância de o presidente das empresas se envolver na gestão das pessoas, apoiando as ações do RH e fomentando a cultura da diversidade.

Para ele, a alta liderança tem que ser engajar e dar os exemplos. “É preciso conversar com seus empregados porque na hora que você vê o impacto positivo da diversidade na empresa, você fica muito mais motivado para seguir em frente”, aconselha van der Loo.

Narita Oliveira, HR Manager da Starbucks EUA, também deu uma aula sobre diversidade e mostrou as diferenças culturais entre os dois países e o que uma empresa pode fazer para praticar a inclusão.

Para ela, esse tema tem que ser um pilar da companhia, que faça sentido não só para o seu público-alvo, mas para quem está dentro da empresa.

“Se a empresa tem um público muito feminino, é preciso pensar em equalizar os salários. Se eu quero estar em todas as regiões do Brasil, eu tenho que ter funcionários condizentes com essas realidades”, exemplifica.

Outro grande destaque na HR Summit 2018 foi a realização das oficinas ágeis na tarde do primeiro dia.

Foram duas horas em que os profissionais participaram de forma muito interativa de uma oficina de metodologia ágil. Os participantes poderiam escolher entre Scrum e Design Thinking.

De olho no HR Summit 2019

Assim, discussões importantes sobre gestão de pessoas foram acompanhadas por mais de 250 profissionais participantes do HR Summit 2018. A plateia foi composta por gerentes, coordenadores e analistas sênior dos diversos departamentos do RH.

O evento também contou com palestras da Seta Desenvolvimento Gerencial, Senac São Paulo, ABB, KPMG, Peugeot Citroën do Brasil, Telefônica Brasil, Signify (Philips Lighting), GPA, Ambev, Google, Leroy Merlin, Impacta, Natura, Infojobs, Runner, Unitedhealth Group, Crescimentum, Sharecare, Saint-Gobain, EY (Ernest & Young), McDonald’s, Avon, Ifood, EDP Brasil e L’Oreal.

Os eventos realizados pela Blueprintt têm como finalidade principal apresentar desafios de vários setores do mercado, discutidos abertamente pelos principais nomes do meio.

Dessa forma, durante as palestras, são abordadas as dificuldades enfrentadas por estes profissionais, os novos recursos utilizados, as tendências de um futuro próximo, além da troca de experiências compartilhadas entre todos.

E a grande notícia é que o HR Summit 2019 já está no radar! Você pode se inscrever no link a seguir para se manter informado sobre todos os detalhes da próxima edição! 

Quero saber mais sobre o principal encontro de líderes de RH no Brasil.

Autor

Flávia Lima

Flávia Lima é jornalista pela PUC-SP e pós-graduada em Comunicação e Marketing pela ECA/USP. Possui ampla experiência como jornalista setorizada. Atualmente, é gerente de conteúdo da Blueprintt, responsável pelo planejamento de congressos corporativos nas áreas de RH Estratégico, Marketing e Tecnologia da Informação.