Blog

Insights de gestão para você antecipar, assimilar e solucionar os seus desafios de negócio

Estresse: como tratar sobre a qualidade de vida no trabalho
Diariamente, enfrentamos problemas no trabalho. Ter um ou outro dia difícil é normal, mas não pode atrapalhar seu desenvolvimento profissional.

Conecte-se

[addthis tool=addthis_horizontal_follow_toolbox]

Toda profissão, em algum momento, pode gerar um acúmulo de atividades e emoções que afetam nossa rotina. Assim, a qualidade de vida no trabalho começa a ficar cada vez mais distante.

Imagina passar meses seguidos atendendo telefonemas desesperados, reuniões infinitas, inúmeras cobranças, pilhas de relatórios, planilhas complexas, centenas de e-mails… e nenhum resultado.

Enfim, a demanda às vezes aumenta ao ponto de gerar um estresse profundo que afeta nossa saúde física, mental e emocional.

Diariamente, enfrentamos problemas no trabalho, sejam eles externos ou internos. Ter um ou outro dia difícil é completamente normal, já que temos certas responsabilidades.

Mas o que não pode acontecer é deixar que o estresse no trabalho seja um problema diário, atrapalhando não só o seu desenvolvimento profissional, como também a sua saúde e quem está à sua volta.

Por conta disso, são muitas as referências bibliográficas em torno do tema estresse, o mal da atualidade que consome principalmente as pessoas que trabalham muito.

Separamos uma dessas, o livro Stress e Trabalho: uma Abordagem Psicossomática, da docente Ana Cristina Limongi França.

Confira, a seguir, as principais lições sobre como evitar o esgotamento na sua rotina profissional e ter mais qualidade de vida no trabalho.

O conceito de Qualidade de Vida no Trabalho

Psicóloga do Serviço Social da Indústria (Sesi) e mestranda da PUC-SP, Ana Cristina traz em seu livro a oportunidade do leitor conhecer e refletir sobre o desafio de conviver no mundo do trabalho com pessoas e situações inesperadas.

Em parceria com o Médico Psiquiatra e Psicoterapeuta Avelino Luiz Rodrigues, o livro é uma quarta edição da obra Gestão da Qualidade de Vida no Trabalho (QVT), realizada a partir de estudos e pesquisas de doutorado.

A publicação trata sobre o tema pertinente à sociedade contemporânea, transmitindo os mais atuais conceitos de estresse sob a ótica da cultura organizacional.

As páginas são recheadas de informações que ajudam na compreensão do fenômeno e o processo de adoecer para o indivíduo e para a organização.

A Gestão da Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) observa, por exemplo, as relações sociais e suas reações biológicas e psicológicas diante dos mais diversos cenários e grupos de convívio no trabalho.

Também mostra a influência do corpo humano e das características herdadas e congênitas nesse fenômeno.

São estudos que se referem aos processos conscientes e inconscientes e que caracterizam a personalidade, a adoção de valores e adaptações que determinam comportamentos específicos.

Muito além das rotinas do trabalho

Segundo a psicóloga, a QVT é um assunto atraente e, ao mesmo tempo, carregado de contradições. Ele faz parte das mudanças no sistema do mercado de trabalho moderno.

Com definições que vão desde cuidados médicos até atividades voluntárias na área do lazer e atividades motivacionais, temos o conceito de Qualidade de Vida no Trabalho multifacetado.

Isso quer dizer que embora, historicamente, a QVT esteja mais associada a questões de saúde e segurança no trabalho, seu conceito passa a sinalizar a emergência de habilidades, atitudes e conhecimentos em outros fatores.

São eles: produtividade, legitimidade, experiências, competências gerenciais e integração social.

A obra mostra que a Qualidade de Vida no Trabalho tem como característica principal manter o foco do bem estar profissional.

Durante seu doutorado, Ana Cristina aprendeu a ver os desafios de gestão e do estabelecimento de competências de Qualidade de Vida no Trabalho.

Foram centenas de palestras, treinamentos e levantamento de dados para a realização da sua tese de doutorado sobre indicadores de qualidade de vida, levantados sob uma ótica psicossomática, ou seja, uma linha de observação do estresse gerado de forma inconsciente, psíquica.

Dessa forma, a autora começou a desenvolver modelos de análise para a gestão estratégica de pessoas, tática e operacional, com base na ergonomia e nas questões psicossociais do trabalho.

Os últimos capítulos do livro são dedicados a estratégias que, seguidas por princípios de ações dirigidas, resultam em perspectivas de maior qualidade de vida no trabalho.

Usando o estresse ao seu favor

A autora deixa a reflexão de que o estresse é parte constituinte de um todo necessário à nossa existência.

Contudo, o sofrimento pode ser transformado de forma criativa em um espaço para a qualidade de vida e promoção da saúde dentro da abordagem psicossomática.

Hoje, a profissional enxerga que há um cenário novo, diversificado e amplo para atuação da Qualidade de Vida no Trabalho, tanto como valor, como ferramenta, produto, serviço e resultados.

Segundo ela, o principal elemento desta mudança é a presença ampla e irrestrita da tecnologia.

Os desafios atuais no âmbito da qualidade é incorporar como processo, através de qualificação, uma definição de competências com gestão compartilhada.

Outro elemento importante neste cenário da Qualidade de Vida no Trabalho para os dias de hoje, segundo ela, é a qualificação dos fornecedores.

Ou seja, é preciso ter maturidade nas relações contratuais e a criação de áreas e serviços específicos de qualidade de vida que não estejam como atualmente: no segundo plano das atividades de gestão de pessoas nas empresas públicas e privadas.

Para ela, as perspectivas futuras para a qualidade de vida no trabalho são:

  1. O fortalecimento das competências de bem-estar organizacional integradas ao bem-estar pessoal;
  2. Adoção de elementos gerenciais próprios, o que tem tido ótima aceitação nas empresas;
  3. Dotação orçamentária específica integrada ou não aos custos médicos e passivos trabalhistas;
  4. Posicionamento estratégico nas metas de gestão organizacional, consolidação de modelos, qualificação dos técnicos gestores e especialistas;
  5. Redução da rejeição em tratar o tema como processo – em geral só se pensa no resultado final.

Por fim, o livro mostra a complexidade do ser humano e como as dimensões biológica, psicológica e social funcionam de forma integrada – nesse caso, podendo o ambiente de trabalho ser a origem de danos à saúde.

Fique por dentro dos grandes temas da gestão

Gostou do tema tratado pelo livro Stress e Trabalho: uma Abordagem Psicossomática?

Pois é, um gestor tem que estar pronto para lidar com temas como este e trazer soluções para a sua equipe.

Mas não é só isso: é preciso ter técnicas de liderança, produtividade, marketing e vendas, inovação, motivação etc.

Se você tem dificuldade em encontrar o livro certo para o seu crescimento como líder, eu tenho uma dica para te dar.

Trata-se do Blueprintt Box, clube de assinaturas de livros de gestão que te ajudará a desenvolver suas habilidades com grandes gurus do tema.

O método é o seguinte: nós te enviamos um livro todo mês, com títulos sobre gestão, liderança e negócios. E você deverá ler por 25 minutos todos os dias.

Ao final do mês, você terá lido o livro. E no mês seguinte, receberá um novo título selecionado pela nossa curadoria especializada.

Que tal esse desafio? Conheça o Blueprintt Box.

Autor

Jessica Moraes

Jessica é formada em Jornalismo e Pós Graduada em Marketing Digital, escreve sobre Negócios, Tecnologia, Inbound Marketing, Moda e Empreendedorismo.