Blog

Insights de gestão para você antecipar, assimilar e solucionar os seus desafios de negócio

Quem são as logistics tech que estão inovando no mercado brasileiro
Fundadores e gestores de quatro startups revelam práticas, soluções e como identificaram oportunidades de negócios na área de logística.

Conecte-se

[addthis tool=addthis_horizontal_follow_toolbox]

Quais são os segredos do sucesso da OK Entrega, Cobli, Uello e CargoBR? As quatro logistics tech identificaram oportunidades na área de logística e as necessidades dos clientes.

Isso porque o setor encara como desafio o transportador não ter poder de barganha e, na maioria dos casos, desconhecer como apresentar o seu serviço.

Gestão de fretes, pontualidade de entrega, gestão da frota, contratação de armazenagem e validação de documentação são outras demandas que estão sendo atendidas pelas logistics tech alicerçadas, inclusive, pela tecnologia através de aplicativos, big data e automação.

Nesse artigo, vamos conhecer quatro cases de sucesso da área. Leia até o final.

Validação em cartório digital

Paulo Saez, fundador da Stil Soluções Logísticas, em 2015 levou sua expertise em administração à OK Entrega, cujo propósito é cobrir lacunas deixadas pelas grandes soluções com agilidade, facilidade de implantação e apresentando soluções customizadas.

A startup atende o cliente que busca fácil implantação e baixo impacto operacional. Entre as inovações, está a obtenção da informação da entrega em tempo real através de aplicativos, independente da frota ser otimizada ou de quem faz a última milha.

Outro diferencial é ser a única solução com validação e registro da imagem do comprovante pelo Cartório Digital, alicerçado pela Lei Federal 6015-73 e artigo 41 da Lei Federal 8935-94. “Através de um aplicativo, o cartório digital valida qualquer comprovante”, destaca Saez.

Graças à tecnologia, a OK Entrega valida imagens, trabalha com dashboards customizados, disponibiliza um aplicativo móvel gratuito e atua em qualquer processo integrado e colaborativo entre embarcadores e transportadoras.

Saez recorda do case de um de seus clientes, uma indústria de tintas que enfrentava dificuldades para identificar as vendas (cat off de vendas) que efetivamente tinham sido entregues em todo o Brasil no fechamento de cada mês.

Como essa empresa trabalha com mais de 30 transportadoras que utilizam outras transportadoras para fazer a última milha, a dificuldade era ainda maior. “Identificamos rapidamente as necessidades do cliente, apontamos soluções em 60 dias e conseguimos reduzir para dois dias depois do fechamento do mês essa identificação das vendas que antes ocorria dez dias depois do fechamento do mês. A mesma empresa precisava organizar o fluxo dos comprovantes de entrega e através de uma plataforma conseguimos abolir todo esse processo”, conta.

Uma das soluções apontadas pela OK Entrega é justamente o cartório digital. “O motorista pode ler o código de barras e fotografar o canhoto através de um aplicativo, onde a imagem é enviada para conferência (através de inteligência artificial), é registrada e transformada em um PDF que tem validade legal”, explica Saez.

Sistema contra roubos

Acabar com as ineficiências nas frotas de veículos é a missão da Cobli, logistic tech fundada em 2016. Ela já foi premiada como melhor nova startup do mundo pela Harvard University e possui uma carteira de mais de 600 clientes em quatro países diferentes.

A empresa oferece um sistema que, em tempo real, mostra informações úteis sobre a logística, rastreamento de veículos, roteirização dinâmica, acompanhamento do modo de condução dos motoristas, redução de gastos com combustível, acidentes e multas.

Um dos cases de sucesso da empresa foi um projeto realizado para a Souza Cruz, que tinha problema com roubos e conseguimos prever 87% dos roubos que iriam acontecer antes que as entregas saíssem da fábrica.

“Pensamos em várias alternativas como colocar mais escolta, um bloqueador, blindar o carro, entre outras soluções. Decidimos apostar na inteligência artificial e no sistema de rastreio para solucionar esse problema”, ressalta Rodrigo Mourad, COO da empresa.

Para ele, é exatamente esse o papel da companhia: passar segurança e credibilidade ao cliente, gerar valor e levar inovação.

Rede colaborativa com lógicas de roteirização

Em sintonia com inovação e tecnologia, a Uello, transportadora digital focada em entregas urbanas, através de uma rede colaborativa utiliza recursos que visam viabilizar serviços rápidos e acessíveis a clientes em todos os segmentos.

A Uello surgiu quando Fernando Sartori, hoje CEO da companhia, trabalhava na gestão de operações em um e-commerce e tinha problemas com fretes, custos e falta de flexibilidade.

“Iniciamos um projeto interno como se fosse uma startup dentro de um e-commerce e deu certo. Daí surgiu a ideia de fazer uma transportadora muito leve em ativos que tivesse toda essa parte tecnológica”, explica Sartori.

O sistema da Uello sincroniza os ativos da cadeia, seja um hub ou um entregador, e organiza como os serviços devem ser prestados. Também faz a gestão dos motoristas e utiliza a inteligência artificial para detectar as melhores alocações.

Assim, a empresa estruturou o que chama de rede colaborativa com lógicas de roteirização para aproveitar ao máximo a cadeia logística.

Sartori lembra da experiência com um de seus primeiros clientes, um e-commerce de cama, mesa e banho, que tinha o objetivo de lançar novos projetos.

“Conseguimos implantar um tracking diferenciado adaptado às necessidades daquele cliente, especialmente porque temos uma base flexível e focamos na rapidez para solucionar problemas apresentados por cada cliente”, lembra.

Cotação simplificada

Fundada por três empreendedores há cinco anos em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, a CargoBR foi a primeira empresa do Brasil a fazer cotação on-line de fretes. Hoje, possui cerca de 3.500 clientes recorrentes.

Alexandre Gonçalves, CEO da companhia, ressalta que a missão da logistic tech é melhorar a comunicação entre embarcadores de cargas e transportadoras com o uso da tecnologia.

“Tornamos processos integrados e ágeis através de critérios mínimos de classificação, permitindo que rastreio e monitoramento sejam garantidos. Hoje, entregamos pelo menos 15% de economia para clientes de grande porte e 20% para pequenos clientes”, explica Gonçalves.

A startup simplifica a contratação de transportadoras e fretes para que seus clientes possam focar nos seus negócios, trabalhando com a indicação de mais de 70 transportadoras.

Suponhamos, por exemplo, que um embarcador precise transportar uma carga do Sudeste para o Norte. A empresa atende prontamente a essa demanda.

Escalabilidade nas logistics tech

Escalar os negócios de forma eficiente é objetivo comum das quatro logistics tech. Para a OK Entrega, a escalabilidade deve ser adequada às necessidades do cliente e os fornecedores apontados são essenciais para executar cada serviço

A Cobli, por sua vez, ajuda cada cliente a escalar os serviços de acordo com sua necessidade. Já a Uello crê que a abordagem padronizada é essencial para uma escalabilidade eficiente.

A CargoBR, finalmente, ajuda os clientes permitindo que ele foque nas operações dele sem se preocupar a encontrar parceiros.

Gostou dos cases? Eles foram apresentados durante o Logistics Management Forum, realizado em outubro pela Blueprintt.

Fique de olho na nossa agenda e participe de eventos como este.

Autor

Rosa Buccino

Rosa Buccino é jornalista e atua na gestão de conteúdo, planejamento e briefings, redes sociais, sites e blogs. Apresenta o programa Inclusive, um novo olhar para a inclusão social na rádio Mega Brasil On Line.