Como implementar ESG e aumentar a viabilidade e o valor do negócio

Blog_Como implementar ESG e aumentar a viabilidade e o valor do negócio
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Veja como implementar ESG no setor de saneamento e em empresas de qualquer setor, aumentando a viabilidade e o valor do negócio a longo prazo.

Antes de buscar saber como implementar ESG, as empresas devem ter claros os objetivos dessa jornada. O principal deles é demonstrar de forma confiável aos stakeholders o progresso em sustentabilidade e as contribuições para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS). Isso porque quanto maiores forem a responsabilidade e transparência do negócio, maiores serão sua viabilidade e valor a longo prazo.

Embora ainda não exista um conjunto de métricas universalmente aceito ou uma receita infalível de como implementar ESG, as empresas precisam se mobilizar nessa direção. Cada vez mais os stakeholders estão interessados no avanço das organizações nos temas ESG, independentemente de haver uma solução perfeita.

Sendo assim, existem cinco passos práticos de como implementar ESG que empresas do setor de saneamento e de outros segmentos podem adotar:

  1. Identificar os fatores materiais que impactam a empresa e a sociedade

  2. Realizar a análise de lacunas

  3. Realizar análises de viabilidade para fechar as lacunas

  4. Melhorar os sistemas de relatórios

  5. Reportar e garantir

A seguir, vamos explorar com mais detalhes cada um deles.

Identificar os fatores materiais

Antes de tudo, para visualizar como implementar ESG, é preciso definir quais temas/áreas são cruciais para a empresa e seus stakeholders em termos de geração de valor a longo prazo. Ou seja, esses tópicos devem estar alinhados com a alta direção e permear todo o propósito e planejamento corporativos. Sabendo disso, fica mais fácil direcionar os recursos para as ações/áreas que são estratégicas.

Para tanto, o envolvimento dos stakeholders é essencial. Eles podem ser tanto internos (colaboradores) quanto externos (investidores, fornecedores, ONGs e clientes, por exemplo). Esse engajamento fornece informações valiosas, sobretudo a respeito do impacto da empresa sobre eles, suas expectativas e preocupações.

Internamente, o olhar sobre como implementar ESG deve ser estendido a toda a organização. Desde a área de Recursos Humanos, passando por Finanças e Jurídico, até Relacionamento com Investidores e QSMS (Qualidade, Segurança, Meio Ambiente e Saúde).

Os colaboradores podem ajudar a elencar os fatores materiais. Além disso, podem ser fontes de insights relevantes e de auxílio no mapeamento dos stakeholders externos. Com essas informações é possível priorizar e estreitar o relacionamento com os players mais estratégicos.

A análise de lacunas na jornada de como implementar ESG

A etapa seguinte na jornada de como implementar ESG é confrontar os fatores materiais identificados com os que a empresa já reporta. Adicionalmente, é recomendável comparar essas informações a outras metodologias, como a GRI Standards, da Global Reporting Initiative, ou às métricas do Conselho Internacional de Negócios do Fórum Econômico Mundial (WEF-IBC). Dessa forma, é possível detectar temas importantes que podem ter ficado de fora.

As métricas centrais, mais estabelecidas e de importância crítica para a maioria das empresas, devem receber maior atenção. São elas:

  • Alterações climáticas

  • Perda de biodiversidade

  • Disponibilidade de água doce

  • Poluição do ar

  • Poluição da água

  • Resíduos sólidos

  • Disponibilidade de recursos

As métricas expandidas (impacto do descarte de resíduos sólidos, da poluição da água ou do uso da terra, por exemplo), integram uma medição mais avançada e podem ser aferidas em uma fase posterior.

Realizar análises de viabilidade para fechar as lacunas

Identificados os gaps entre as informações já reportadas e outras métricas comumente adotadas, começa a fase de fechamento das lacunas.

Nesse sentido, é importante avaliar se as métricas adotadas pela empresa podem ser parametrizadas a padrões estabelecidos nacional ou internacionalmente. Ao fazer isso a empresa garante que seus dados sejam consistentes e possam ser comparados entre seus pares do setor.

Para lacunas identificadas no processo de como implementar ESG, é importante consultar a área responsável para verificar se existem dados para as métricas em falta. Se houver, analise se as informações abrangem toda a empresa e se o processo de relatório é transparente e robusto. Igualmente, é essencial checar se há restrições legais para relatar as métricas.

Por fim, quanto aos dados não disponíveis, estabeleça métricas e descubra se é possível coletá-los em curto ou longo prazo.  Procure saber, inclusive, se esses dados podem ser reportados.

Eventualmente, um roteiro de como implementar ESG pode ajudar a desenhar as etapas para relatórios adicionais e definir prazos viáveis. Assim, será possível ter uma visão geral das métricas que podem ser reportadas e um roteiro para o desenvolvimento de dados para outras métricas.

Como implementar ESG: melhorar os sistemas de relatórios

Um sistema de relatórios com processos robustos e controles internos eficazes fornecerá informações confiáveis ​​para fundamentar as decisões estratégicas. Além disso, a governança deve supervisionar a definição, monitoramento e implementação das métricas e metas de sustentabilidade da empresa.

Dessa forma, ao definir como implementar ESG, a empresa tem uma visão equilibrada da geração de valor a longo prazo. A qualidade dos dados, portanto, precisa ser validada. Sobretudo se fizerem parte dos relatórios financeiros. Por isso, é preciso avaliar:

  • se os processos e controles internos para o relatório são suficientemente robustos;

  • se os procedimentos de mensuração e reporte estão bem definidos;

  • se os controles internos estão funcionando.

Nesse sentido, a auditoria interna ou externa pode verificar se há deficiências nas estruturas de governança e/ou nos controles internos e recomendar melhorias.

Os dados podem ser coletados e integrados ao relatório anual. Para métricas sem dados disponíveis ou confiáveis, um roteiro deve ser desenvolvido para integrá-las aos mecanismos de governança e permitir relatórios futuros.

Reportar e garantir

O foco inicial do relatório ESG deve estar sobre as métricas centrais, pois são relevantes para a maioria das empresas. As métricas expandidas devem ser desenvolvidas posteriormente, já que representam uma forma mais avançada de medir e comunicar a geração de valor sustentável. Idealmente, os relatórios devem trazer métricas centrais e expandidas.

Desse modo, recomenda-se:

  • Incorporar as principais métricas aos relatórios convencionais;

  • Como alternativa, incluir as métricas centrais no relatório anual e referir-se a outras métricas nos relatórios separados de sustentabilidade/ESG;

  • Avançar a construção dos relatórios para incluir as métricas expandidas;

  • Integrar as métricas ao ciclo de relatórios.

Em nosso Programa Executivo de Imersão em ESG você vai descobrir como a Aegea Saneamento planeja suas ações sustentáveis.  Marina de Castro Rodrigues, Coordenadora de Responsabilidade Social, apresenta os principais desafios e soluções da empresa para o desenvolvimento de ações ESG.

Inscreva-se clicando aqui!

Sobre o autor

Artigos relacionados

Estratégias baseadas em grandes ideias vencem

Cadastre-se para receber mais artigos como este e domine sua função

Ao enviar este formulário você está concordando com nossos termos de uso e política de privacidade

Formulário enviado com sucesso

Clique para fechar

Condições especiais por tempo limitado. Apenas 35 vagas disponíveis. 

PROGRAma executivo de imersão em ESG

Saiba identificar os impactos nos 3 âmbitos do ESG e defina estratégias envolvendo todas as áreas da organização.

Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência com nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com tal monitoramento. Para mais informações, clique aqui.