Blog

Insights de gestão para você antecipar, assimilar e solucionar os seus desafios de negócio

Educação 4.0: como a tecnologia muda paradigmas nas empresas
A tecnologia tem um papel essencial na educação 4.0. Veja quais são os principais impactos positivos que ela trouxe para as empresas!

Conecte-se

[addthis tool=addthis_horizontal_follow_toolbox]

A evolução é inevitável. Evoluem os consumidores, os produtos, os negócios, os mercados e todas as atividades realizadas dentro de uma empresa, inclusive a capacitação corporativa. Na era da Revolução Tecnológica, a educação 4.0 é o novo paradigma, influenciado fortemente pelas tecnologias digitais. 

O principal exemplo é o conceito de e-Learning, a educação desenvolvida completamente em ambientes virtuais. E essa nova forma de promover o desenvolvimento não é um simples caso de mudança pela mudança; ela efetivamente traz benefícios para o alcance e o engajamento dos colaboradores, possibilitando alcançar resultados melhores.

Neste artigo, inspirado pela palestra Educação Corporativa 4.0: como a tecnologia mudou paradigmas, vamos abordar as transformações que já aconteceram e algumas hipóteses sobre o futuro. A comunicação foi ministrada por Armando Lourenzo, diretor da Universidade Corporativa da Ernst & Young.

Educação 4.0 estimula os colaboradores a resolver desafios reais

Antes de mais nada, vale a pena apontar que a educação 4.0 parte de um pressuposto novo. Em vez do desenvolvimento de competências no plano abstrato e teórico, ela visa estimular os colaboradores a lidar com desafios reais e resolvê-los. 

Por um lado, essa mudança é interessante para a empresa, já que leva à formação de profissionais mais preparados para agir. Por outro, tem um reflexo positivo na adesão e no engajamento dos colaboradores, que ficam motivados a participar pelo desejo de superar os desafios propostos.

A tecnologia teve um papel viabilizador nessa mudança. Ela permite organizar treinamentos de altíssimo nível, focados na resolução de desafios reais, sem deixar de ser cost effective.

Também promete ajudar ainda mais: basta considerar o efeito que treinamentos utilizando dispositivos de alta tecnologia (como Realidade Virtual) podem ter sobre o engajamento dos colaboradores

Personaliza os treinamentos

No tópico anterior, comentamos que a tecnologia permite realizar excelentes treinamentos sem ultrapassar os limites financeiros. Da mesma forma, ela possibilita realizar treinamentos personalizados com um custo racional. 

Isso é muito importante, porque um treinamento precisa ser desenvolvido de acordo com o perfil dos colaboradores que vão participar. Ainda que o tema (competência ou conhecimento central que se busca desenvolver) seja o mesmo, a abordagem é diferente.

Um treinamento de liderança para a alta gestão e outro para a média gestão, por exemplo, abordam problemas totalmente distintos.

Promove conversas reais

Um e-Learning sem conversas reais não é eficiente. As interações são essenciais para manter os colaboradores engajados e realizar o acompanhamento adequado do seu progresso. Apesar de o ambiente virtual ser uma boa opção para desenvolver os treinamentos, ele não elimina a necessidade de contato.

Felizmente, também é possível promover essas conversas com a ajuda da tecnologia. Uma solução simples como o Skype permite que os colaboradores e os organizadores do treinamento se comuniquem, sem abrir mão da flexibilidade de horário e local, que faz parte da premissa do e-Learning e da educação 4.0.

Levanta necessidades reais

Um dos grandes desafios para a educação corporativa sempre foi o levantamento de necessidades; isto é, a definição dos conhecimentos e competências que precisam ser desenvolvidos nos colaboradores, tanto na organização de maneira geral quanto em áreas específicas.

Em muitos casos, os temas para os treinamentos eram definidos por mero “achismo”, o que podia levar a empresa a gastar dinheiro com ações que não traziam um impacto positivo real para o desempenho das equipes.

Esse problema fica mais fácil de resolver com o avanço da tecnologia, que permite diagnosticar com maior clareza as forças e fraquezas dos colaboradores. Como isso é feito? A partir de dados gerados dentro da própria empresa.

Com a enorme quantidade de dados que a empresa gera sobre seus resultados, fica fácil observar quais são os pontos em que o desempenho é insatisfatório — e, portanto, que exigem uma ação de desenvolvimento. Mas não apenas isso: esses dados permitem estabelecer, além de prioridades para o momento, os pontos de atenção para o futuro.

Imagine, por exemplo, que a equipe de cobrança da empresa tem problemas de desempenho na recuperação de crédito de clientes com alto nível de endividamento; porém, essa não é a maior prioridade da organização no momento. Então, uma ação de desenvolvimento voltada a melhorar o desempenho nessa atividade específica pode ser programada para um momento posterior.

Integra desenvolvimento e gestão de talentos

A evolução da tecnologia permite integrar, de maneira mais eficiente, o desenvolvimento dos colaboradores com a gestão de talentos.

Em outras palavras, utilizando as ferramentas tecnológicas, é possível assegurar que o desempenho dos colaboradores nos programas de desenvolvimento seja disponibilizado como informação para a gestão de talentos. Até mesmo o planejamento sucessório dentro da empresa pode se beneficiar com essa integração, já que ela permite identificar com ainda mais precisão os verdadeiros key talents da organização.

Essa integração é apenas um exemplo. Na realidade, a tecnologia permite que o desenvolvimento dos colaboradores seja integrado com todas as áreas e atividades dentro da empresa. Dessa maneira, a educação 4.0 ocupa um espaço estratégico para ajudar o negócio a atingir seus objetivos.

Permite avaliar os resultados de maneira objetiva

Quando uma empresa investe em educação corporativa, ela espera ver um retorno. Para atender a essa expectativa, é necessário ter uma forma de avaliar objetivamente os resultados dos treinamentos realizados. Com a educação 4.0, isso é possível por meio de Key Performance Indicators (KPIs) ou indicadores-chave de desempenho.

Essa avaliação não se limita aos resultados do desempenho dos funcionários nas atividades propostas durante o treinamento. Também podemos avaliar os resultados em termos de satisfação dos participantes. Essa informação é crucial, já que a satisfação dos colaboradores com o treinamento afeta sua disposição para se envolver nas atividades e, consequentemente, seu aprendizado a partir dessa experiência.

Neste artigo, você viu alguns exemplos de como a tecnologia muda paradigmas em capacitação corporativa, dentro da realidade da educação 4.0. Fica claro que ela tem um papel extremamente relevante em aumentar a atração e o engajamento dos colaboradores e possibilitar, por meio da análise de dados, planejar, executar e avaliar treinamentos com mais eficiência e qualidade. 

Quer mais conteúdos que vão ajudá-lo a levar sua gestão para o topo? Então, assine a newsletter da Blueprintt e receba outros conteúdos com insights exclusivos!

 

Autor

Flávia Lima

Flávia Lima é jornalista pela PUC-SP e pós-graduada em Comunicação e Marketing pela ECA/USP. Possui ampla experiência como jornalista setorizada. Atualmente, é gerente de conteúdo da Blueprintt, responsável pelo planejamento de congressos corporativos nas áreas de RH Estratégico, Marketing e Tecnologia da Informação.