Blog

Insights de gestão para você antecipar, assimilar e solucionar os seus desafios de negócio

E-learning: Inteligência Artificial na educação corporativa
Aplicar a Inteligência Artificial na educação corporativa é um dos grandes desafios dos próximos tempos. Conheça as tendências!

Conecte-se

[addthis tool=addthis_horizontal_follow_toolbox]

A Inteligência Artificial já se faz presente em vários setores das nossas vidas. Em compras digitais ou atendimentos telefônicos, não é raro nos depararmos com máquinas respondendo questões simples para intermediar o trabalho do ser humano.

Em hospitais, elas já fazem parte da rotina de médicos, que contam com ferramentas complexas para diminuir significativamente a margem de erros cirúrgicos, por exemplo.

E no mundo corporativo não seria diferente. As aplicações de sistemas de Inteligência Artificial na educação corporativa já alcançam empresas no mundo todo em treinamentos e no estreitamento de relações gerenciais.

Além de relatórios complexos e treinamentos online, a Inteligência Artificial na educação corporativa é uma importante aliada do desenvolvimento de uma organização.

Em um mundo em que os colaboradores assumem cada vez mais o papel de protagonistas em seus desenvolvimentos de trabalho, a Inteligência Artificial na educação corporativa ganha um espaço nobre.

Dessa forma, capaz de prever ações a partir do comportamento de cada colaborador, a Inteligência Artificial na educação corporativa pode oferecer conhecimentos que atingem os pontos nevrálgicos da organização.

Assim como em plataformas de streaming, podemos solucionar carências de conhecimentos por meio da Inteligência Artificial na educação corporativa.

Saiba mais!

Mobilidade e adaptabilidade: a Inteligência Artificial na educação corporativa

Podendo ser acessados a partir de qualquer dispositivo e em qualquer lugar do mundo, cursos, palestras e treinamentos são frutos da Inteligência Artificial na educação corporativa.

De acordo com dados da revista Exame, somente em 2017, 61% dos empresários consultados implementaram alguma forma de Inteligência Artificial em suas operações.

Seja em operações que observam a produção de conhecimento ou em ações de marketing, é definitivo o espaço que a inteligência artificial ocupa.

E-Learning e Inteligência Artificial na Educação Corporativa

Quando observamos as universidades corporativas, grandes investimentos são realizados para a formação de colaboradores.

Sejam elas focadas em desenvolvimento pessoal ou expertises fundamentais para boas práticas de trabalho e gestão, as capacitações ultrapassaram, há muito tempo, as paredes da empresa.

O E-Learning é uma forma otimizada de garantir que um time tenha acesso aos conhecimentos necessários para acelerar um processo ou melhorá-lo.

Basicamente, podem ser observadas duas grandes vantagens em sua estruturação:

Alcança inúmeros colaboradores

Uma mesma capacitação pode ser aplicada a diversos times e de forma assíncrona.

Isso permite maior flexibilidade para o gestor, que não precisará interromper o trabalho de todo um setor para assistir a uma palestra, por exemplo.

Porém, esses momentos de compartilhamento de experiências são fundamentais para a construção de conhecimentos e não são relegados a um segundo plano.

Utilizando a ferramenta dos fóruns, toda a discussão pode ser feita de forma on-line e gerar documentos importantes para análise posterior.

Minimiza custos pessoais e financeiros

Por vezes, arcar com os custos de uma viagem ou um treinamento pode ser desestimulante para a maior parte das empresas.

Diante dessa realidade, o ambiente digital também é útil para minimizar os investimentos financeiros, que podem ser redirecionados para a obtenção de novos conteúdos de valor.

A Inteligência Artificial aplicada ao E-Learning

Em palestra durante o evento Educorp 2019, Martha Gabriel revelou informações importantes a respeito do desenvolvimento do futuro das Inteligências Artificiais.

Durante a sua apresentação, ela ressaltou pontos que podem otimizar a produção de conhecimentos no meio empresarial.

A fim de estreitar distâncias, a Inteligência Artificial na educação corporativa permite que identifiquemos quais são as necessidades de cada colaborador.

Assim, antecipamos um rol de ações que pode garantir melhor desenvolvimento para eles, unindo capacitação e educação em uma mesma dinâmica.

Ela também pode auxiliar na tomada de decisão a partir de direcionamentos que podem ser alimentados por meio de sua programação.

Dessa maneira, conseguimos selecionar as melhores estratégias para a elaboração de programas de ensino dentro de nossas instituições.

Estratégias essas que atenderão, de forma lógica, às nossas reais necessidades, sem que assumamos como risco uma escolha permeada por nossas preferências.

Além disso, a Inteligência Artificial na educação corporativa estreitará distâncias étnicas e linguísticas.

Isso porque já é possível, com a ajuda de programações elaboradas, reproduzir um programa educacional em diversos idiomas, e isso sem que o falante original os domine.

Essa possibilidade abre pressupostos interessantes, que nos colocam ante a uma formulação inédita em nossa história enquanto humanidade.

Afinal, com a evolução da Inteligência Artificial na educação corporativa, conseguiremos atingir, em menor tempo e com menor custo, qualquer ambiente empresarial.

E seja ele concebido em nosso próprio país ou em qualquer outro, poderemos contar com uma comunidade global de saberes, integrada e organizada.

Para o futuro das organizações, a Inteligência Artificial na educação também promete que, com o tempo, tenhamos menos pessoas performando em uma mesma função.

O que esperar do futuro e a influência das Inteligências Artificiais

Se hoje já é possível delegar a um robô a execução de um livro e fazer com que ele alcance grandes qualificações, para o mundo empresarial não será diferente.

É possível prever que, até 2040, tenhamos menos pessoas performando em uma mesma atividade dentro das organizações.

Isso não quer dizer, no entanto, que seremos totalmente substituídos por máquinas, mas aponta para um futuro de convivência harmônica entre seres humanos e Inteligências Artificiais.

São elas que poderão contribuir para processos mais coesos logicamente, sem o apelo emocional que nós, por conta de nossa humanidade, sempre teremos.

E que, justamente por conta dessa natureza, pode influenciar negativamente na tomada de decisão e no ordenamento das operações em nossas organizações.

No entanto, por não terem ainda a capacidade de serem empáticas — característica plenamente humana —, as Inteligências Artificiais deverão trabalhar em comunhão com os seres humanos para alcançarem boas práticas.

Essas boas práticas observam, sobretudo, a competitividade saudável, a relação com nossos parceiros e, ainda mais, o que esperamos para o futuro das nossas organizações.

Em termos práticos, o futuro da Inteligência Artificial na educação corporativa aponta para desenvolvimento, cooperação e, sobretudo, para o bom convívio entre o homem e a máquina.

O que você pensa a respeito desse tema?

 

Autor

Flávia Lima

Flávia Lima é jornalista pela PUC-SP e pós-graduada em Comunicação e Marketing pela ECA/USP. Possui ampla experiência como jornalista setorizada. Atualmente, é gerente de conteúdo da Blueprintt, responsável pelo planejamento de congressos corporativos nas áreas de RH Estratégico, Marketing e Tecnologia da Informação.