Blog

Insights de gestão para você antecipar, assimilar e solucionar os seus desafios de negócio

Desafios da precificação de commodities
Com um mercado volátil, a precificação de commodities é um grande desafio na busca de equilíbrio entre oferta e a demanda

Conecte-se

[addthis tool=addthis_horizontal_follow_toolbox]

O maior receio das indústrias, empresários e organizações é ficar com o produto sem conseguir dar vazão no mercado, buscando um preço justo para ambas as partes do negócio. Por isso, a importância de conhecer sobre precificação de commodities é crucial para evitar cenários desastrosos.

Quando pensamos em commodities, logo visualizamos indústrias, trens cargueiros e grandes plantações — o que não está errado —, mas alterar o olhar para essas mercadorias já é uma forma de treinar e amplificar o seu modelo de negócio.

Por exemplo, as commodities estão em todos os lugares, o algodão e a seda do seu lençol, a gasolina do seu carro, entre outros itens que fazem parte do nosso dia a dia. Prestar atenção nesses detalhes é uma forma de se ter uma ideia da precificação de commodities.

Definição técnica da precificação de commodities

Para quem está entrando nesse universo ainda pode ser confuso a desassociação quando se fala sobre a matéria e a sua definição técnica. A matéria é o petróleo, a soja, minério de ferro e etc, já o conceito técnico abrange outros fatores. Vamos listar alguns:

Produto: qualidades e características uniformes, seja em estado bruto ou com pequeno grau de industrialização.

Qualidade: definidas por normas internacionais. Padrão quase uniforme e estocado por determinado período sem perda significativa de qualidade.

Origem: não são diferenciados de acordo com quem os produziu ou de sua origem.

Preços: determinados pela oferta e procura internacional, cotação e negociabilidade globais, utilizando as bolsas de mercadorias.

Onde são feitas as negociações de preços das commodities?

Basicamente são realizadas nas bolsas, que são as referências de preço. A Chicago Board Of Trading (CBOT) é referência nos produtos de soja e milho. Em commodities de minerais, três bolsas encabeçam a lista, Comex de Nova Iorque que precifica o ouro, a Brent e a WTI são de petróleo e a Dalian na China é a referência em minério de ferro. O que diferencia uma da outra, além do seguimento, é a liquidez financeira.

Quem negocia são os produtores, indústrias e consumidores, cada um com sua intenção, na maioria dos casos são as estratégias de proteção para investimentos de risco, que anula a posição de compra ou venda para que seu preço não varie, conceito conhecido como hedge.

E por fim, quem investe são os fundos de investimentos, eles olham para a bolsa como uma oportunidade de ganho no mercado futuro.

Como precificar a commodity no Brasil?

“Quem resolve entrar no mercado de commodities tem que saber que a volatilidade faz parte do mercado. Não se faz trading em área de pricing”, afirma Jeter José Kavrokov, Gerente de Pricing da BUNGE.

Segundo Jeter, a missão de precificar as commodities no Brasil é mais simples do que parece, dedique atenção para algumas variáveis:

  • Cotação internacional;
  • Taxa cambial do Brasil;
  • Variável do prêmio. Ela equaliza os preços de outros mercados na sua origem em relação ao destino dos produtos.

É imprescindível ter uma boa leitura de mercado para realizar as compras das matérias-primas. Essa compreensão será fundamental a fim de precificar e ampliar a rentabilidade. Contudo, vale ressaltar algumas premissas, o mercado é soberano e incontrolável, ninguém o controla e o custo da matéria-prima pode ter inúmeras hipóteses num mesmo dia.

Alguns fatos para análise e reflexão sobre a precificação de commodities:

  • 85% dos compradores definem a aquisição pelo preço;
  • Margens negativas são utilizadas para gerar tráfego em loja;
  • Oferta é recomposta rapidamente pela aplicação de capacidade inativa;
  • Preço tem forte tração nas vendas.

Sobre a atuação no mercado, é importante dizer que ele é extremamente competitivo e muito ofertado, baixa fidelidade por parte dos consumidores, não há quase nenhuma gestão de preço de venda e com tendência de vendas no cash & carry.

Para finalizar, como administrar isso tudo? Identifique e explore seus limites e competências. Todas as empresas têm atributos, entenda o que cada mercado reconhece na sua empresa, marca ou produto. Tenha em mente que negociações de commodities não se guardam na gaveta, venda o mais rápido que puder!

Precificar commodities é um desafio que exige um time de alta performance, evite fazer negócio acreditando que o mercado virá ao seu favor e procure dentro dele os melhores negócios todos os dias.

Gostou desse artigo? Assine nossa newsletter e nos siga nas redes sociais e fique por dentro de mais conteúdos como esse! 

Autor

Flávia Lima

Flávia Lima é jornalista pela PUC-SP e pós-graduada em Comunicação e Marketing pela ECA/USP. Possui ampla experiência como jornalista setorizada. Atualmente, é gerente de conteúdo da Blueprintt, responsável pelo planejamento de congressos corporativos nas áreas de RH Estratégico, Marketing e Tecnologia da Informação.