Blog

Insights de gestão para você antecipar, assimilar e solucionar os seus desafios de negócio

Guia completo sobre Controladoria nas empresas
Cada vez mais, executivos se organizam para implementar a Controladoria em suas empresas. Se prepare conhecendo mais sobre o assunto neste guia

Conecte-se

[addthis tool=addthis_horizontal_follow_toolbox]

Começo com uma questão: qual é a maior virtude para ter uma vida saudável? A resposta é singular, cada pessoa é de um jeito, tem um estilo de vida e uma visão de mundo diferente, mas, com certeza o que todo mundo procura é o equilíbrio. Não importa em qual área da vida, equilíbrio é a chave.

No mundo corporativo não é diferente, aliás, se faz mais necessário ainda. Imaginem o caos que é uma empresa sem equilíbrio? Áreas independentes sem uma comunicação estruturada, um pesadelo, não é mesmo? No meio do caos, surge a controladoria. É ela que possibilitará essa estabilidade, estabelecendo o elo entre as áreas e seus objetivos.

Mas afinal, o que a controladoria faz na prática?

Como diz no próprio nome, é uma área que tem como foco principal controlar as atividades da empresa. Possibilitando que as organizações criem um planejamento estratégico mais eficiente e assertivo.

Para ter noção, segundo o Instituto Brasileiro Tributário, um dos motivos decisivos de falência de 42% de micros e pequenas empresas no país é a escassez de visão de mercado e a falta de planejamento.

Engana-se quem acredita que a controladoria é exclusividade das grandes empresas, esse recurso pode ser aplicado para empresas de todos os portes.

Apresento duas razões pela qual uma MPEs é capaz de desenvolver a controladoria:

  1. Os processos primordiais da controladoria também são viáveis e estão disponíveis para micros e pequenas empresas;
  2. A implementação dos processos podem apresentar diversos benefícios para MPEs.

Não se pode achar que a controladoria está ligada apenas a custos, quando ela é totalmente estratégica. Por isso alguns executivos e empreendedores não obtêm êxito ao implantá-la em suas organizações.

Origem e contextualização da Controladoria nas empresas

Com a Revolução Industrial nos anos de 1920, ocorreu o surgimento de grandes corporações. Na época, acionistas e gestores das companhias tinham uma certa dificuldade para comandar, era algo complexo ter um controle geral das áreas e departamentos. Depois de muito estudo, foi compreendida a necessidade de criar uma Contabilidade Geral, que com o passar dos anos se tornou a Controladoria.

No Brasil, o conceito tomou forma em 1960, época em que o governo de Juscelino Kubitschek abriu a economia local para empresas estrangeiras – no caso as norte-americanas – se instalarem no país com filiais das suas multinacionais. E com elas, os profissionais também vieram trazendo na bagagem métodos administrativos avançados com objetivo de ensinar os novos contratados.

A capacitação era focada na administração e planejamento financeiro para manter controle da produção operacional.

Dessa forma surgiram os primeiros registros de controladoria nas empresas.

O que é Controladoria?

Como já comentado acima, a controladoria tem como questão primordial promover eficiência nas tomadas de decisões, acompanhando a execução das metas estabelecidas, apurar e diagnosticar as causas para a ocorrência de possíveis desvios entre resultados esperados e alcançados, garantindo a transparência dos processos decisórios.

Permite que a empresa não perca o controle do negócio, não apenas como um planejamento financeiro, mas estratégico, colaborando para identificação de fraudes e possíveis falhas.

Com a coleta de dados gerados em relatórios, facilita o entendimento das carências de clientes, acionistas, fornecedores, etc.

A controladoria não é um modelo engessado, cada empresa pode ter seu sistema desenhado que faça sentido para a organização. A gestão irá ditar o ritmo e como administrar através dos mecanismos oferecidos pelo conceito.

Por fim, a área assegura o controle dos resultados financeiros do negócio, através de planejamento baseado no orçamento.

Uma vez apresentado o que é a controladoria e a sua origem, vamos para os próximos passos. Quer saber qual é a função, a importância e os tipos de controladoria?

Então continue acompanhando este artigo!

Funcionalidades da Controladoria nas empresas

Ao longo do artigo deu para entender algumas funções da controladoria, mas agora iremos detalhar as atividades do setor.

A premissa é cooperar para uma administração efetiva, sempre prezando o negócio e os fins lucrativos de forma estratégica. Diferentes setores e níveis hierárquicos devem estar integrados no processo para que seja funcional e efetivo.

Dependendo da área de atuação da empresa, o setor pode parecer complexo, mas para facilitar sua vida, elencamos algumas atividades básicas.

Controle e Planejamento Estratégico: o que é preciso para alcançar as metas e objetivos? Planejamento estratégico. Somente dessa forma será possível organizar as práticas exercidas pela controladoria. Ela tem como atividade distribuir as informações para cada área da companhia. Com esses dados é possível fazer a gestão de riscos, apoiando sempre os gestores na criação do planejamento.

Cultura organizacional: a inserção da controladoria irá requisitar uma mudança de cultura na gestão da empresa. Pois ela pede por uma nova postura de todos os setores organizacionais. A controladoria deve colocar uma lupa na análise dos dados e dos relatórios e comparar com o que foi planejado.

Avaliação de custo contábil e consultoria: através dos relatórios e do custo contábil é possível reunir informações necessárias para criar um aporte aos gestores, mapeando todos os custos a controladoria consegue analisar os segmentos de gestão. Também permite verificar se todos os departamentos estão agindo de acordo com o plano otimizando os processos internos.

Controle fiscal e análise econômica: no Brasil é normal encontrar buracos nas leis, além da burocracia de todo sistema legislativo, portanto, administrar os métodos e políticas fiscais é de suma importância, evitando multas e outras perdas. A influência do governo deve ser analisada, pois pode interferir nos futuros negócios da organização.

Entenda a sua importância 

Além de concentrar todos os dados da companhia de fácil compreensão para sócios, investidores e colaboradores, ela tem uma função essencial na análise da saúde financeira, pois reúne elementos de cada transação, investimento, custos e receitas.

Através dessa análise, o gestor terá informações sobre o mercado, a verdadeira situação financeira e contábil da empresa, dados da concorrência e etc.

Por meio desses levantamentos, é possível criar um planejamento robusto, onde todos os stakeholders possam ser atendidos. A controladoria é crucial para isso acontecer.

Com políticas de redução de custos, a controladoria fornece dados para aumentar os lucros. O que nesse contexto é uma medida inteligente, mas que precisa de cuidado para que o produto não perca valor para o cliente.

Para ficar mais claro, listamos 4 ações que colaboram para a otimização de custo:

  1. Processos organizacionais;
  2. Informações apropriadas e investimento no digital;
  3. Estrutura organizacional;
  4. Controle internos.

Com essas ações em mãos, a controladoria permite à gestão entender a situação atual da empresa, onde ela pode chegar e o que fazer para alcançar os objetivos. Enfim, uma visão ampla e sistêmica.

Essa visão 360º proporciona ampliar os horizontes e não ficar preso somente no “dinheiro em caixa”, sua avaliação possibilita que custos, despesas e receitas sejam trabalhados em conjunto.

Vantagem para a organização que passa a produzir mais, com menos tempo.

Categorias da controladoria nas empresas

A controladoria é uma área em expansão, antes ligada somente a contabilidade, o departamento tem se desenvolvido e ganhado espaço nas organizações.

Por conta desse crescimento, as empresas estruturam o controle interno a partir de diferentes modelos.

Existe a possibilidade de centralizar essa função em uma única pessoa, conhecida como controller, responsável por organizar e coordenar o suporte aos gestores. Ele é encarregado pelo acompanhamento do fluxo natural das atividades e dos processos.

Entre os deveres do controller inclui-se a assistência na criação dos orçamentos operacionais, supervisão dos relatórios financeiros e a realização de tarefas básicas relacionadas à folha de pagamento.

É seu dever zelar pela continuidade da empresa, fazendo com que as atividades desenvolvidas em conjuntos alcancem melhores resultados.

Separamos quatro tipos de controladorias: empresarial, contábil, administrativa e estratégica.

Empresarial: tem como principal foco compreender e monitorar todo o trabalho dentro da empresa, portanto, estar próximo não apenas do desenvolvimento das atividades, mas do todo, priorizando a melhoria contínua dos processos e etapas dos projetos.

É uma ferramenta gerencial, ligada à gestão do negócio, projeções, simulações e desempenho da empresa.

Entre as principais atividades estão:

  • Planejamento tributário;
  • Aumentar a eficiência e a organização através de estudos específicos;
  • Contabilidade geral;
  • Contabilidade por demanda;
  • Orçamento e projeções.

Contábil: é a área que está atrelada às atividades de contabilidade, finanças da organização e à gestão de pessoas. Além de realizar tarefas como, atendimento da legislação e fiscalização, relatórios e controle patrimonial.

Com papel fundamental para tomada de decisão dentro da organização, principalmente na coleta de indicadores, municiando os gestores para decidirem as ações futuras.

Toda ação contábil tem como objetivo fazer com que a companhia chegue nas metas estabelecidas. Faz parte dessa etapa melhorar os resultados, analisar a qualidade dos processos e, por fim, aprimorar.

Junto com a controladoria contábil, fazem parte:

  • Contabilidade tributária;
  • Contabilidade financeira;
  • Contabilidade de custos;
  • Controle patrimonial.

Administrativa: esse tipo de controladoria é mais abrangente, se assemelha em alguns aspectos a empresarial, isso porque tem como objetivo conservar o bom funcionamento do negócio em relação às áreas da empresa, sem desconsiderar o foco principal e o orçamento.

Podemos destacar como atividade principal o planejamento orçamentário.

Estratégica: como o próprio nome diz, ela atua como um alicerce para a estratégia da organização, disponibilizando informações para os líderes e gestores.

Imagine juntar os setores de Administração, Planejamento Estratégico e Contabilidade? Pronto, temos a controladoria estratégica.

Serve como apoio à análise, com o planejamento, a implementação e o controle de toda a estratégia. Qual o benefício disso? Facilita a tomada de decisões.

Acaba se tornando uma vantagem competitiva para empresa, ter uma área específica para pensar nas ações e dar sequência no plano de ação.

Pensando no controle interno com base nas necessidades da empresa, sugerimos quatro modelos que prioriza a administração:

  • Modelo de mensuração;
  • Modelo de decisão;
  • Modelo de informação;
  • Modelo de gestão.

Como se tornar um profissional completo?

Normalmente os profissionais são graduados em Administração, Ciências Contábeis ou Economia. E as atividades variam muito com o tipo de controladoria adotado pela empresa e o nível hierárquico do colaborador.

Existe a possibilidade de analistas, coordenadores e gerentes assumirem o papel em relação às tarefas internas, isso ocorre quando a companhia não tem um setor dedicado à controladoria.

Ou como já mencionamos acima, as organizações podem contratar um controller para ser responsável pelas atividades.

Principais tarefas do controller:

  • Elaborar o planejamento financeiro, do budget e forecast;
  • Diagnóstico de processos e revisão de controle;
  • Monitorar e analisar relatórios financeiros de acordo com o tempo imposta pela empresa (mensais, semestrais ou anuais);
  • Suporte na tomada de decisão à diretoria da organização;
  • Coordenar o planejamento estratégico;
  • Viabilizar os projetos de investimento.

Além de participar das reuniões estratégicas onde é decidido o orçamento anual, coletar informações de todas as áreas, desenvolver projeções financeiras, entre outras.

Características do profissional:

  • Excelente comunicação;
  • Capacidade analítica;
  • Bom relacionamento;
  • Pensamento sistêmico;
  • Visão estratégica;
  • Entendimento de mercado.

Considerando as diferentes possibilidades de implantação, a controladoria pode se sustentar em qualquer estrutura organizacional e de orçamentos opostos, desde uma multinacional até micro e pequenas empresas.

Deu para perceber a importância da controladoria e tudo que ela envolve, não é mesmo? É um departamento que contém informações de todos os segmentos, seja administrativo, financeiro ou contábil.

Lembra no início do artigo em que destacamos o equilíbrio como parte fundamental na vida? Além de controlar, organizar, planejar e analisar atividades, processos e os custos da empresa, ela auxilia a tornar os processos mais seguros.

Muito mais do que melhorar os resultados e ser parceiro na otimização das áreas, a controladoria ajuda a empresa a seguir no caminho correto para atingir as metas e objetivos.

Antes de compartilhar todas essas informações eu tenho um convite para você, está a fim de conhecer mais sobre o mundo da controladoria nas empresas? Então acesse nosso site e se inscreva no Programa Executivo de Imersão em Controladoria. Acesse o site e saiba mais.

Autor

Ana Paula Rocha

Formada em jornalismo pela PUC-SP e pós-graduada em Mídias Digitais pelo Senac, Ana Paula Rocha tem mais de 10 anos de experiência com reportagens especializadas e para a internet. Atualmente, é gerente de conteúdo na Blueprintt, à frente das áreas de Serviços Financeiros, Finanças Corporativas e Serviços de RH.