Blog

Insights de gestão para você antecipar, assimilar e solucionar os seus desafios de negócio

Por que usar os benefícios na atração e retenção de funcionários
Em tempos de crise, os benefícios custam menos e trazem muitos ganhos para os empregados. Veja 5 estratégias para adotá-los na sua empresa.

Conecte-se

[addthis tool=addthis_horizontal_follow_toolbox]

É muito comum ouvir falar de empresas que buscam se diferenciar da concorrência pagando um salário acima da média de mercado ou um bônus agressivo.

Buscar a diferenciação através dos benefícios não era uma prática muito utilizada, mas está crescendo.

E, o melhor, tem tudo à ver com alguns dos principais desafios que as empresas enfrentam nos dias de hoje.

Confira a seguir os principais motivos para começar a investir em benefícios:

 

Investir em benefícios custa menos

Se compararmos a eficiência dos diferentes componentes da remuneração, nenhum deles é mais eficiente que os benefícios.

Ao pagar salário ou bônus e incentivos, as empresas recolhem encargos e o empregado paga imposto de renda, fazendo com que o custo seja muito superior ao valor efetivamente recebido.

Quando se oferece um benefício, na maioria das vezes, essa relação é até inversa: o empregado recebe mais do que o custo efetivamente assumido pela empresa.

Isso porque o poder de compra de uma empresa é muito superior ao de um empregado no mercado consumidor, conseguindo assim condições diferenciadas.

Além disso, a grande maioria dos benefícios não sofre incidência de encargos.

Tomemos como exemplo o benefício Plano de Saúde. Se a empresa paga 250 reais por vida para oferecer o plano ao empregado, é bastante improvável que ele consiga contratar um plano com as mesmas coberturas e condições pelo mesmo preço no varejo.

 

De olho nos Millennials

Os millennials estão chegando com tudo no mercado de trabalho e essa geração traz consigo uma necessidade de encontrar no ambiente de trabalho um lugar prazeroso.

Eles precisam se identificar com o propósito da empresa e o seu trabalho tem que ter um significado.

Como os benefícios podem contribuir?

Vejam esses dois exemplos:

  • Vamos imaginar um empresa que tem como valor o respeito à diversidade. Como ela poderia tangibilizar e demonstrar isso através dos seus benefícios? Ela poderia oferecer, por exemplo, licença casamento e licença paternidade e maternidade para uniões homoafetivas.

 

  • Uma empresa do setor de saúde tem como missão transformar positivamente a vida das pessoas, através da promoção de hábitos saudáveis. Ela precisa se importar com a saúde dos seus funcionários também. Um benefício que poderia ser oferecido é um auxílio à atividades físicas, que começa com um subsídio de 50% do custo e cresce em função da prática continuada, podendo chegar a 90% após um ano.

 

 

Melhorar a experiência do cliente

Um tema muito em alta no mundo dos negócios é a customer experience.

Quer forma melhor de engajar seus funcionários na melhoria da experiência dos clientes do que transformá-los em clientes também?

 

Ofereça benefícios relacionados aos produtos e serviços da sua empresa.

Com isso os empregados poderão entender melhor os problemas nos processos, corrigí-los mais rapidamente, sugerir melhorias e fazer a diferença no seu negócio.

Também já falamos que oferecer benefícios, em termos de custo, é mais eficiente que outras formas de remuneração.

Quando esse benefício é um produto ou serviço da sua própria empresa fica ainda mais barato.

Além disso, muitas vezes esses benefícios são difíceis de serem copiados por outras empresas, principalmente de outros setores, tornando-os diferenciais competitivos para atração e retenção de talentos.

 

Aumentar a produtividade

Encarar o seu emprego como uma simples e fria relação de trabalho é um problema, tanto para os funcionários, quanto para as empresas, pois afeta a satisfação em trabalhar e o engajamento.

Os benefícios ajudam a esquentar essa relação, pois aproximam a empresa do funcionário, transmitindo, muitas vezes, um sentimento de cuidado, de que a empresa realmente se importa com você.

Muitos benefícios tem esse poder, como o plano de saúde, plano dental, previdência privada, EAP (Employee Assistance Program, que são programas de assistência psicológica, financeira, jurídica etc), auxílio doença, auxílio funeral, entre outros.

Mas não basta oferecê-los.

Ter um plano de saúde de baixa qualidade pode ter justamente o efeito contrário.

O sentimento de cuidar das pessoas precisa ser genuíno e os programas bem gerenciados e comunicados pela empresa!

Um forma de demonstrar cuidado é ser proativo.

Os funcionários tem direito ao check-up anual e não estão fazendo?

Entre em contato e estimule-os à participar.

 

Tecnologia a favor dos benefícios

Um grande obstáculo para a oferta de um pacote amplo de benefícios sempre foi o aspecto operacional.

Quando o benefício se traduz em algo físico, como cestas de natal, ficava ainda mais complicado.

Porém, essa realidade mudou.

Hoje a tecnologia que temos à disposição permite eliminar cartões e substituir por aplicativos, digitalizar documentos, realizar aprovações via workflow e, até mesmo, tirar dúvidas através de inteligência artificial.

Está mais simples, moderno e não faltam fornecedores qualificados para suportar as empresas nesses processos.

 

Para finalizar, algumas dicas:

  1. Antes de desenvolver ou revisar o seu pacote de benefícios, busque conhecer e se atualizar sobre as necessidades dos seus empregados e as práticas de mercado.
  2. O relacionamento com fornecedores é fundamental para implementar os benefícios e manter o sistema funcionando bem. Selecione-os com cuidado, envolva-os na sua estratégia e busque construir parcerias duradouras.
  3. Trabalhar com benefícios é uma grande oportunidade para inovar. Explore essa possibilidade.
  4. As regras e processos precisam ser simples e a equipe de RH deve estar capacitada para oferecer um atendimento de qualidade.
  5. Use o seu pacote de benefícios para atrair talentos. Divulgue a oferta e capacite a equipe de recrutamento para vendê-los na proposta aos candidatos.

 

E aí, como sua empresa tem feito para reter os seus talentos?

Compartilhe sua experiência conosco.

Autor

Marcello Curvelo

Executivo de RH com 16 anos de atuação no setor de telecomunicações. Sólida experiência em Remuneração & Benefícios, Folha de Pagamento e Planejamento, Controle e Indicadores de RH. É formado em Administração de Empresas pela UFF. Possuiu MBA em Finanças pela UFF/Latec e formação internacional em Inovação pelo MIT.