Blog

Insights de gestão para você antecipar, assimilar e solucionar os seus desafios de negócio

Business Transformation é a revolução que seu negócio precisa
O processo de business transformation pode ser a revolução que a área de gerenciamento de produtos precisa para alcançar o cliente

Conecte-se

[addthis tool=addthis_horizontal_follow_toolbox]

Se antes da pandemia do novo coronavírus o mercado corporativo já era um ambiente competitivo e acirrado, agora devidos os impactos da Covid-19, mais um aspecto está em jogo: a sobrevivência. Muitas decisões foram antecipadas e outras ainda nem conseguiram sair do papel, fato é que para tornar essa fase menos turbulenta, gestores estão investindo e se aprimorando em processos de business transformation.

Business transformation, ou gerenciamento da transformação, traduzido para o português é um modelo de processo que coloca o cliente como foco do negócio através de métodos arrojados, é visto por algumas empresas como um modo complexo de administrar produtos ou serviços.

Fato é que o business transformation está revolucionando o mercado de produtos. Em pesquisa levantada pela Forbes Insights, 93% dos 900 entrevistados consideram o processo como algo válido, outros já o iniciaram e alguns concluíram a implantação em suas empresas.

Mais do que ser disruptivo, o business transformation é uma tendência, visto que o cenário econômico é instável e foi a maneira que as organizações encontraram como resposta aos gatilhos gerados por esse momento.

Para implantar o business transformation é necessário ser flexível e ágil

Muitas empresas olham como um processo complexo, quando na verdade muitas não querem sair da zona de conforto do tradicionalismo, tudo que é flexível e ágil por definição vai de contra esse pensamento conservador. Mas chegará a hora em que a transformação não poderá ser ignorada. A dica é: comece antes, não deixe essa decisão para quando a questão for de vida ou morte.

Com a decisão começam as mudanças, no caso a transformação irá fazer parte da cultura, assim como ferramentas colaborativas no trabalho. Deu para perceber que estamos falando em tecnologia, certo? Guarde isso em mente, pois mais à frente iremos retomar esse tema.

Conforme citado, o produto é o ponto focal do business transformation, isso implica em duas coisas: satisfação do cliente, ou seja, atender as necessidades e como fazer isso. A resposta é: seja flexível e ágil.

Não é porque o método é complexo, flexível e ágil que não existe processo ou uma linha de pensamento estratégico por trás. Pelo contrário, ao adotar o business transformation será exigido cada vez mais estratégias de plano de ação e, por consequência, correr riscos.

Pense em três etapas do processo de criação do produto até a entrega final:

  • Desenvolvimento;
  • Logística;
  • Marketing.

Como aprimorar as ações dentro das atividades? Com a tecnologia. No momento de produção e desenvolvimento é muito importante entender as condições do mercado (concorrentes, economia, questão demográfica e as necessidades do cliente), tudo isso irá impactar nas tomadas de decisões durante o processo.

Identificou os riscos, o desejo do cliente e como produzir de maneira ágil? Agora com base em pesquisas fica mais simples de determinar os próximos passos. Lembre-se, hoje tudo é algoritmo, nada é coincidência. A época da intuição e da confiança a olho nu já não é mais garantia de nada. As pesquisas oferecem uma base de dados crucial para as empresas.

Ferramentas colaborativas no trabalho é uma forma de estreitar e centralizar as informações para que os demais demais setores envolvidos possam acompanhar os processos. É interessante fornecedores e clientes terem algum acesso na plataforma, não só em caráter de acompanhamento, mas pensando em tornar alguns processos mais ágeis.

Se o foco é o cliente, o papel dele na influência é grande. O mindset deve ser em fórmulas que atendam realmente o que ele deseja e agregando valor para as soluções que a empresa oferece ao mercado.

Harien Ivanowicz, Gerente de Business Transformation da Coca-Cola comenta sobre como a área de gerenciamento de produtos é impactada pelo business transformation:

“Ainda é uma dificuldade muito grande, algumas pessoas continuam falando ‘vou lançar 25 produtos’, o que me importa é se você vai lançar 25 produtos se só vai vender 25 caixas? Uma caixa para cada um. Ou se você vai lançar um e vai vender um milhão de caixas. O que importa é isso” afirma.

Nesse ponto, marketing e comunicação são fundamentais para a estratégica ter êxito, gerenciar uma mudança do produto já estabelecido ou oferecer algo novo é uma tomada de decisão importante. Definam os passos a partir das pesquisas realizadas com os clientes e com a região onde ele se encontra para apresentar o projeto. Medidas precipitadas podem acarretar em um problema no estoque.

Gostou do artigo? Então conheça o Programa Executivo de Imersão em Gerenciamento de Produtos e continue aprendendo. Clique aqui e saiba mais!

Autor

Ana Paula Rocha

Formada em jornalismo pela PUC-SP e pós-graduada em Mídias Digitais pelo Senac, Ana Paula Rocha tem mais de 10 anos de experiência com reportagens especializadas e para a internet. Atualmente, é gerente de conteúdo na Blueprintt, à frente das áreas de Serviços Financeiros, Finanças Corporativas e Serviços de RH.

IMERSÃO EM GERENCIAMENTO DE PRODUTOS
Condições especiais por tempo limitado. Apenas 35 vagas disponíveis