Blog

Insights de gestão para você antecipar, assimilar e solucionar os seus desafios de negócio

5 tendências para o futuro do trabalho no RH, por Tom Haak
Diretor do HR Trend Institute fala sobre como a área deve tratar o uso de tecnologia, contratações flexíveis e novas formas de recrutamento.

Conecte-se

A área de Recursos Humanos (RH) vive uma das suas maiores transformações atualmente. Uso da tecnologia, contratações flexíveis e novas formas de recrutamento vêm chamando atenção. Mas quais são as tendências no RH?

Uma coisa é certa. O cenário em que o RH concentra-se em agradar à alta administração em detrimento das pessoas não existe mais.

O departamento voltou seu olhar para o propósito. Assim, dentro de todas as transformações tecnológicas que estão sendo implementadas, a preocupação sobre como se conectar com seus colaboradores chegou ao entendimento da importância do propósito.

Por isso, entrevistamos Tom Haak, diretor do HR Trend Institute, instituição com sede em Amsterdã, que identifica, estuda e fomenta novas tendências em recursos humanos.

Para ele, entender os desejos, as necessidades e as capacidades dos funcionários deve ser, hoje, uma prioridade das empresas.

Tom possui extensa carreira em multinacionais, com atuação em empresas como Aon, KPMG, Fugro, Arcadis e Philips Electronics.

Confira, a seguir, a entrevista completa com ele.

[Blueprintt] Você pode nos contar um pouco sobre o HR Trend Institute e, resumidamente, qual é seu objetivo?

O HR (Human Resources) Trend Institute segue, detecta e estimula tendências tanto no nível das pessoas, como organizações e áreas afins. Sempre que possível, o instituto também é um criador de tendências.

Acompanhamos os desenvolvimentos em RH, especificamente na área de tecnologia (HR Tech). Tenho orgulho de que muitas organizações, muitas vezes grandes multinacionais, me pedem para inspirar sua equipe de RH. Inspiração é o nosso principal objetivo.

A vida nas organizações pode ser muito melhor, com mais diversão e melhor aproveitamento do potencial das pessoas.

Estamos trabalhando na comunidade HR Tech em parceria com outras pessoas. Esta é uma plataforma onde queremos dar uma boa visão geral do panorama da tecnologia no RH.

Então, não é um catálogo com todas as soluções que existem, mas uma seleção de soluções interessantes e inovadoras que são bons exemplos para a área.

[Blueprintt] Quais são os principais desafios de RH a serem superados?

A longo prazo, a tendência mais importante, a meu ver, é a personalização, a experiência do empregado. Eu também rotulei essa tendência “De agradar o chefe para a intimidade do empregado”.

As organizações realmente se esforçam para conhecer seus funcionários (e outras pessoas que não estão necessariamente na folha de pagamento).

O que as pessoas desejam? Quais são as suas capacidades? O que eles querem aprender? Geralmente, as organizações não fazem um esforço real.

Outra tendência que eu chamei de “Poder para o povo“. Os funcionários vão querer se tornar mais independentes das organizações, e eles tomarão suas próprias iniciativas.

Outro dia me deparei com um exemplo interessante no futebol. Há uma empresa, Your Tactical Analyst, que ajuda os jogadores que pagam por uma análise aprofundada de seus jogos, individualmente, dando dicas sobre como melhorar o seu desempenho.

Esses jogadores fazem isso independentemente porque acham que o clube não foca primariamente em seu desenvolvimento – e isto é compreensível, Esses tipos de serviços também aparecerão cada vez mais no ambiente de negócios. Poder para as pessoas!

[Blueprintt] Você disse recentemente que o RH deve transferir seu foco para a jornada e para as atividades dos funcionários. Como os líderes de RH devem se preparar para isso?

O RH tradicional já está desaparecendo. A maior parte do RH está nas operações do departamento e há muitos trabalhos automatizados.

Precisamos de pessoas que conheçam as pessoas, o que elas querem e precisam e como a tecnologia pode ajudar a melhorar as organizações dentro e fora da vida.

Hoje eu não apostaria em uma carreira em RH. Eu sugeriria às pessoas que investissem em habilidades específicas, como as encontradas nos hard (tecnologia e analytics) e soft side (dando sentido às pessoas, conectando pessoas, vendo padrões complexos etc).

 

[Blueprintt] Qual é o papel da tecnologia no RH?

O uso de inteligência artificial (IA) e tecnologia mais ampla cria enormes oportunidades para aumentar o impacto do RH.

A IA pode ajudar a melhorar todas as fases da jornada do empregado. Então, podem ser aprimorados, por exemplo, a criação de perfil, seleção, aprendizado e desenvolvimento, composição da equipe e produtividade.

O RH vai querer trabalhar muito mais com dados e baseado em evidências. Com a tecnologia de hoje, e com algoritmos avançados, é possível analisar dados de forma mais rápida e inteligente, além de construir modelos adaptativos que tentam prever e simular o comportamento humano.

Não é que as máquinas inteligentes vão assumir o trabalho das pessoas, é mais a combinação entre pessoas e máquinas que vai fazer o trabalho muito melhor. Aliás, o RH está fazendo um trabalho longe do perfeito hoje, então há muito espaço para melhorias.

[Blueprintt] Quais são as suas recomendações para recrutar e reter talentos nos dias de hoje?

Há uma mudança de recrutamento para empregos fixos e temporários. As organizações estão usando de forma mais criativa as oportunidades de trabalho mais flexíveis.

Isso ajuda a pensar menos em termos de empregos e mais em termos de tarefas. Assim, se existe uma tarefa a ser feita, então como podemos encontrar rapidamente as melhores pessoas possíveis que podem (e querem) fazê-la?

As organizações são menos organizadas em torno de empregos fixos e mais em torno de equipes flexíveis, que procuram candidatos adequados no conjunto de talentos internos e externos.

Os candidatos são recrutados para fortalecer uma equipe. É importante que eles tenham as habilidades certas e se encaixem bem culturalmente na organização.

Na gestão de talentos, uma abordagem individualizada é muito importante. Se você sabe quais são as capacidades das pessoas, quais são seus desejos e em que direção elas querem se desenvolver, você pode projetar oportunidades que se ajustem melhor às necessidades e desejos individuais.

Com a tecnologia de hoje, você é capaz de conhecer seus funcionários melhor do que eles mesmos.

A maioria das práticas de RH, incluindo gestão de talentos, ainda está muito focada em indivíduos (leia sobre isso em “De indivíduos à redes de equipes”). Ao mesmo tempo, as equipes são os principais blocos de construção na maioria das organizações.

Portanto, desenvolver e fortalecer equipes de talentos ainda é uma prática subdesenvolvida, mas receberá mais atenção nos próximos anos.

[Blueprintt] Finalmente, você pode antecipar o foco de sua palestra na HR Summit?

Em novembro, sempre publicamos nossa visão geral das tendências de RH, que esperamos ser importantes para o próximo ano. Na conferência, poderei dar uma pré-visualização aos participantes.

No entanto, certamente não falarei apenas sobre tecnologia, mas também sobre confiança e o papel do RH.

Gostou da entrevista com Tom Haak?

Autor

Bruno Andrade

Bruno é CEO e co-fundador da Blueprintt. Ele é responsável por formular as estratégias e liderar nossa equipe à efetivamente ajudar líderes empresariais a antecipar, assimilar e solucionar desafios, proporcionando informações práticas e atuais sobre o ambiente de negócios.

Conecte-se