Blog

Insights de gestão para você antecipar, assimilar e solucionar os seus desafios de negócio

5 dicas para a gestão de pessoas na área de comunicação da sua empresa
A migração de pessoas com perfis muito diversos para a área corporativa é grande. Veja como identificar os colaboradores mais adequados para suas equipes.

Conecte-se

Os desafios da gestão de pessoas na comunicação interna das empresas são muitos. O mercado está em profunda transformação e as mudanças são sentidas em todos os setores. Entre as novidades, estão:

 

  • Um novo modelo de divulgação e diálogo com o público interno e externo;
  • Novas mídias;
  • Novo perfil do profissional, cada vez mais múltiplo;
  • Uma nova forma de contrato entre terceirizados e organizações.

 

A migração de pessoas para a área corporativa é grande, com perfis muito diversos: jovens antenados e conectados, jornalistas habituados ao dia a dia das redações, profissionais de agências com experiência em assessoria e relações públicas, entre outros.

 

Nesse cenário, como reter talentos e identificar os colaboradores mais adequados para compor suas equipes, além de preparar a liderança e ajustar a cultura organizacional para essa transição?

 

Neste post, vamos falar de 5 dicas essenciais para potencializar a gestão de pessoas no setor de comunicação e solucionar questões que possam surgir.

 

Continue lendo para saber mais!

 

  1. Fique atento na hora da seleção

 

É fato que uma nova leva de profissionais como jornalistas, assessores, publicitários, relações públicas, entre outros, estão migrando para dentro das empresas e precisam se adaptar ao modelo de comunicação corporativa. Essa transição não é simples para a organização e nem para a pessoa.

 

Para evitar problemas e o aumento do turnover, é importante orientar gestores sobre qual o perfil desejado e esclarecer as expectativas e exigências da empresa logo nos processos de seleção.

 

Solange Fusco, gerente de comunicação corporativa do Grupo Volvo América Latina, se surpreendeu ao abrir duas vagas para a área de comunicação. Ela recebeu milhares de candidaturas, muito mais do que já tinha visto.

 

No entanto, ao aplicar os filtros básicos para a vaga, 90% dos interessados já foram descartados. Entre tantos conhecimentos técnicos exigidos, faltava o inglês fluente para trabalhar em uma empresa multinacional como a Volvo.

 

A gestora sente que os profissionais precisam entender de tudo um pouco na área e que o mercado exige muito mais deles hoje atualmente. No entanto, muitos perderam competências básicas como domínio de idiomas.

 

Portanto, as corporações precisam redobrar a atenção e ser mais criteriosas na hora de traçar o perfil das vagas.

 

  1. Garanta o envolvimento do profissional com o negócio

 

Para trabalhar em uma empresa, o profissional de comunicação precisa entender também mais sobre planejamento estratégico, indicadores e outros aspectos importantes para o negócio.

 

Para Luciana Alvarez, gerente de comunicação e sustentabilidade da Duratex, dois elementos que fazem toda a diferença são a proximidade e o relacionamento. Com esses conceitos, a gestora se refere ao entendimento sistêmico da instituição, o que ele produz e como fatura.

 

“O profissional de comunicação generalista é importante. Mas, para ter um bom desempenho dentro da empresa, ele precisa participar de reuniões e estar perto dos gestores e se inteirar sobre o negócio”, diz ela.

 

Já Daniele Salomão, diretora de gestão de pessoas e comunicação do Grupo Energisa, complementa: “o profissional tem que ter a capacidade de ampliar o seu universo dentro dos temas de comunicação e sair dos tecnicismos. Ele precisa transitar bem pelas áreas da empresa, captar ou até mesmo antecipar demandas ocultas e crises em potencial”.

 

Logo, um diferencial é ter uma visão completa da corporação e manter o radar ligado para fazer um trabalho que vai, de fato, gerar mais valor.

 

  1. Aposte na comunicação integrada para retenção e atração de talentos

 

A comunicação interna é um dos setores mais importantes, uma vez que é um desafio maior dialogar com o colaborador. Afinal, é ele quem conhece melhor as fragilidades da empresa.

 

Assim, o potencial da área é enorme para reforçar a confiança e a credibilidade. Investir no reforço da marca é a melhor estratégia para atrair pessoas, e a comunicação está totalmente ligada a essa empreitada.

 

“Assim como startups e pequenos empreendimentos que buscam refletir sobre valores e reputação de marca, as grandes empresas estão fazendo esse percurso e trabalhando seu propósito para atrair e reter talentos”, afirma Luciana.

 

Nesse sentido, a ideia é que os funcionários de comunicação sejam porta-vozes da cultura organizacional e criem estratégias para conectar pessoas com os valores, missões e crenças da instituição.

 

 

  1. Aprimore as parcerias com agências e fornecedores

 

Quando o assunto é a diferença de culturas organizacionais, a gestão de pessoas terceirizadas ou de agências na comunicação pode ser um obstáculo para a produtividade, caso os objetivos e expectativas de todos os envolvidos não estejam alinhados.

 

Nesse ponto, é fundamental que o fornecedor não seja visto como algo a parte do negócio. O trabalho em conjunto e em parceria é o melhor caminho para o sucesso.

 

Deixe releases prontos e classificações antigas de lado: para gerar conteúdo e campanhas relevantes, ricos e eficazes, os terceirizados precisam estar totalmente envolvidos no dia a dia da empresa e fazer parte da estratégia.

 

  1. Fortaleça a liderança

 

O alinhamento entre a liderança e a comunicação é indispensável para gerar mais confiança e trazer pessoas para o lado da empresa. Daniele enfatizou a necessidade de investir nesse aspecto e todas as iniciativas adotadas pela Energisa:

 

  • Qualificação contínua;
  • Formação sobre o papel do líder na vida das pessoas;
  • O programa Click Líder, um canal de comunicação exclusivo para os líderes com conteúdo e informação em primeira mão sobre gestão e as novidades da empresa.

 

A ideia é, com o auxílio da comunicação, preparar o gestor para ser porta-voz da empresa para os colaboradores. Mais do que isso, o intuito é ajudá-lo a como se colocar e dialogar com pessoas de forma eficiente.

 

Apesar das complexidades e mudanças, o cenário é promissor para as empresas, que tem chances de maximizar a performance do seu negócio, o fluxo de informações e a reputação da marca no mercado, caso adotem boas práticas de gestão de pessoas na comunicação.

 

Quando está bem estruturado, esse setor promove maior transparência e integração entre os clientes internos e externos.

 

Gostou do texto sobre gestão de pessoas na comunicação?

 

Então, não deixe de compartilhá-lo nas suas páginas nas redes sociais com seus colegas!

Autor

Flávia Lima

Flávia Lima é jornalista pela PUC-SP e pós-graduada em Comunicação e Marketing pela ECA/USP. Possui ampla experiência como jornalista setorizada. Atualmente, é gerente de conteúdo da Blueprintt, responsável pelo planejamento de congressos corporativos nas áreas de RH Estratégico, Marketing e Tecnologia da Informação.

Conecte-se