Blog

Insights de gestão para você antecipar, assimilar e solucionar os seus desafios de negócio

Balanced Scorecard: o modelo de gestão ideal para o seu negócio
Balanced Scorecard possibilita um equilíbrio para o planejamento estratégico de qualquer empresa

Conecte-se

[addthis tool=addthis_horizontal_follow_toolbox]

A palavra equilíbrio nunca fez tanto sentido como atualmente. Vivemos sob um cenário de instabilidade e incertezas em todos os setores da vida, e no universo empresarial não é diferente, a busca por equilíbrio se tornou uma vantagem competitiva no mercado, por conta disso, empresas estão adotando cada vez mais o modelo de Balanced Scorecard.

O que torna a ferramenta tão requisitada ainda nos dias de hoje, uma vez que ela surgiu no século passado? De fato, o Balanced Scorecard (Indicadores Balanceados de Desempenho) nasceu entre o final da década de 1980 e começo dos anos de 1990, desenvolvido pelos professores da Harvard Business School, Robert S. Kaplan e David Norton com o intuito de aumentar o desempenho das empresas através do gerenciamento estratégico que concede um maior equilíbrio às atividades organizacionais e amplifica a visão holística da empresa perante o negócio.

Como já citamos, hoje há necessidade de equilíbrio, e esse foi um pilar crucial da criação do Balanced Scorecard. Então por que ferramentas como SWOT e 5W2H que são “antigas” caíram em desuso? A diferença do BSC para as demais é a simplicidade e flexibilidade, ela não fica presa com as outras.

E quando falamos de ferramentas que ajudam a tomar decisões nas organizações de forma geral, não se deve ficar preso em um modelo estático. Ainda mais dentro do contexto de urgência e pressão por resultados positivos e ágeis que executivos e líderes vivem.

Quanto mais a empresa investir em processos simples, amplos, eficientes e eficazes, maior será o triunfo, seja ele financeiro ou humano (clientes e colaboradores).

Afinal, como funciona o Balanced Scorecard?

Comentamos um pouco sobre a história e o porque o modelo é procurado e utilizado nas companhias. Segundo Kaplan e Norton, o BSC auxilia as empresas em vários aspectos do planejamento estratégico, como:

  • Priorização de serviços, projetos e produtos;
  • Posicionamento do trabalho no dia a dia de todos com a estratégica da organização;
  • Ênfase na comunicação sobre as ações do que está sendo realizado;
  • Monitoramento e mensuração da evolução das metas estratégicas.

Pensando sempre em criar valores, quatro indicadores são o norte do Balanced Scorecard, o primeiro passo da metodologia.

  1. Perspectiva financeira: é claro que todas as empresas colocam o fator financeiro como prioridade, mas quais são os objetivos financeiros que deixaram a saúde da empresa instável e por consequência, a satisfação dos acionistas?
  2. Perspectiva do mercado/cliente: a relação entre consumidor e empresa mudou muito nos últimos anos, mais do que adquirir um serviço ou produto de qualidade, a experiência se tornou um fator preponderante para o mercado. Diante disso, aspectos como retenção e satisfação dos clientes ajudaram com a expectativa criada e com o objetivo financeiro da empresa.
  3. Perspectiva dos processos internos: se a relação entre consumidor mudou, o relacionamento entre empregador e empregado também mudou com o passar dos anos. Qualidade de vida no ambiente é um tema totalmente atual e recorrente, portanto, indicadores de produtividade, compliance, entre outras métricas devem ser levados em consideração para exigir o resultado em inovação, operação e pós-venda.
  4. Perspectiva de aprendizado/crescimento: as respostas das outras perspectivas irão resumir o aprendizado e o crescimento da empresa, medir engajamento de todos os stakeholders e o nível de desenvolvimento da organização.

Quais são os elementos e como aplicar o BSC?

Com base nos indicadores citados acima, alguns elementos do Balanced Scorecard ajudam a construir uma estratégica com mais exatidão.

Objetivo estratégico: definir o rumo do que a organização seguirá. É muito importante que o objetivo esteja alinhado com a cultura e com os valores da empresa. Uma opção interessante é quebrar o objetivo em vários com metas mais simples e tangíveis. Além de acompanhar de perto cada conquista, aumenta o senso de pertencimento dos funcionários envolvidos.

Mapa estratégico: é o desenho do planejamento estratégico, onde cada perspectiva tem um espaço no mapa. É uma forma simples e direta de visualizar o que foi elaborado e enxergar com maior clareza todos os objetivos, metas e ações estratégicas que foram definidas.

Indicadores chaves: todos os dados e informações coletados são indicadores do processo em progresso. Avalie o desempenho de cada um referente ao objetivo estratégico, mantenha a coerência com as metas que estão no mapa e seja claro ao analisar os resultados. Isso irá permitir uma elaboração de parâmetros numéricos (gráficos, estatísticas, taxas e porcentagens).

Metas: assim como o objetivo, fica a sugestão de quebrar as metas para alcançá-las com maior facilidade. Conheça o negócio antes de estipular metas, caso o alvo seja muito desafiador pode gerar uma desmotivação ao invés de encorajar os colaboradores. Administre bem as tarefas para atingir o objetivo estratégico no Balanced Scorecard.

Plano de ação: alguns gestores não consideram colocar o plano de ação como um elemento usando o argumento que os outros já são suficientes para a tomada de decisão. É válido o argumento, mas, caso queira ter mais um elemento a fim de assegurar o que foi feito, desenvolva um roteiro contendo os responsáveis para cada ação, com prazos e orientações das tarefas.

Como aplicar no BSC? O mapa é separado por quatro faixas, cada uma responde as perspectiva estratégicas nessa disposição:

  1. Perspectiva Financeira;
  2. Perspectiva do Mercado;
  3. Perspectiva de Processos Internos;
  4. Perspectiva de Aprendizado.

O modelo conecta os fatores por linhas, com a finalidade de retratar cada linha e sua independência das metas. Apesar de cada meta ser independente, pode acontecer delas se interligarem em algum momento, portanto, utilize setas para direcionar a ligação entre elas.

Não existe apenas essa forma o critério quem define é a gestão, mas o exemplo mencionado acima é o mais simples e fácil de montar e compreender.

Vantagens e benefícios

Além de organizar a estratégica através do equilíbrio de cada objetivo, o Balanced Scorecard oferece outras vantagens e benefícios:

  • Melhora a comunicação entre a organização e seus stakeholders;
  • Visão nítida e ampla do planejamento;
  • Aumenta o engajamento;
  • Melhora o alinhamento de estratégias.

Se você chegou até aqui é porque está interessado, correto? Temos uma dica para você se tornar especialista em Balanced Scorecard, venha fazer parte do Programa Executivo de Imersão em Planejamento Estratégico. Clique aqui para maiores informações e até breve!

Autor

Ana Paula Rocha

Formada em jornalismo pela PUC-SP e pós-graduada em Mídias Digitais pelo Senac, Ana Paula Rocha tem mais de 10 anos de experiência com reportagens especializadas e para a internet. Atualmente, é gerente de conteúdo na Blueprintt, à frente das áreas de Serviços Financeiros, Finanças Corporativas e Serviços de RH.