O que é ESG: entenda em poucos passos

BG-ESG
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Você sabe o que é ESG? Veja como práticas ambientais, sociais e de governança podem tornar as empresas mais lucrativas, confiáveis e atrativas

O que é ESG?” tornou-se uma pergunta frequente, principalmente nos últimos dois anos. Isso porque as letras do acrônimo, que remetem às palavras Environmental, Social e Governance (ou seja, Meio Ambiente, Social e Governança), têm sido cada vez mais frequentes na pauta de empresas e do mercado financeiro brasileiro.

Para se ter uma ideia do tamanho do interesse pelo assunto, entre 2020 e 2021 a menção ao ESG nas redes sociais aumentou mais de sete vezes. O dado foi revelado pelo estudo “A evolução do ESG no Brasil”, elaborado pela Rede Brasil do Pacto Global em parceria com a plataforma de monitoramento digital Stilingue.

Mas, afinal, o que é ESG, do que trata exatamente e por que tem sido considerado estratégico para os negócios?

O que é ESG

De modo geral, podemos definir o que é ESG como um conceito que analisa as práticas ambientais, sociais e de governança de uma empresa. Nesse contexto, o sucesso de um negócio não é medido apenas por sua rentabilidade.

Desse modo, as ações adotadas para minimizar os impactos negativos do processo produtivo, tanto para o meio ambiente quanto para a comunidade, também são levadas em conta. Igualmente importantes são as condutas de governança igualitárias e éticas. Assim, o ESG torna-se um parâmetro complementar para nortear as decisões de investimentos do mercado e a intenção compra do consumidor.

A percepção de que o equilíbrio entre lucratividade e desenvolvimento sustentável é essencial para o futuro, no entanto, não é nova.

Isso porque o termo ESG surgiu há mais de 15 anos, em 2004. Ele foi citado pela primeira vez na publicação Who Cares Wins, elaborada pelo Pacto Global da ONU e pelo Banco Mundial.

À época, CEOs de grandes instituições financeiras foram convidados a reunir sugestões de como os princípios ambientais, sociais e de governança poderiam ser incorporados ao mercado financeiro. Como resultado, os executivos concluíram que implementar práticas ESG é benéfico para o mercado e para a sociedade. Veja por quê:

  • Ter políticas ESG responde aos anseios da sociedade e dos investidores quanto a medidas de sustentabilidade e de responsabilidade social;
  • Empresas que entendem o que é ESG e aplicam o conceito em suas condutas corporativas aumentam sua competitividade e lucratividade;
  • Elas também experimentam um ganho de reputação perante investidores, stakeholders e consumidores;
  • Organizações que absorvem o que significa ESG geram mais atratividade e transparência para aportes financeiros, tanto nacionais quanto internacionais (conhecidos como “investimento verde” ou “investimento sustentável”);
  • A incorporação de princípios ESG melhora a qualidade de gestão do negócio;
  • Por fim, há geração de valor a longo prazo.

Preocupação com o impacto ambiental

A primeira letra da sigla ESG corresponde a environmental, ou seja, meio ambiente. Nesse âmbito estão compreendidas todas as ações da empresa para minimizar os impactos do seu ciclo produtivo sobre os recursos naturais.

Isso inclui, por exemplo:

  • Gestão de resíduos e efluentes;
  • Eficiência energética;
  • Controle de emissão de poluentes no ar e na água;
  • Reciclagem e reaproveitamento de insumos;
  • Adoção de tecnologias ambientalmente responsáveis;
  • Uso de matérias-primas ecologicamente corretas;

O que significa ESG para a responsabilidade social

O compromisso com a responsabilidade social também está presente no conceito ESG. A palavra social diz respeito ao modo como uma empresa se relaciona com seus diversos públicos. A cadeia abrange desde os fornecedores, até acionistas, governos, comunidades no entorno das plantas e, por fim, os clientes.

Veja algumas medidas de responsabilidade social:

O que significa ESG para a governança

Os aspectos de governança corporativa estão representados pelo termo governance. Afinal, para que a cultura ESG seja disseminada por toda a empresa, é necessário que todos os níveis de gestão estejam engajados.

Confira como uma governança alinhada às expectativas atuais do mercado e dos consumidores pode ser criada internamente:

  • Implantação de medidas anticorrupção;
  • Priorização da transparência na prestação de contas e de informações;
  • Garantia de independência e diversidade nos conselhos administrativos;
  • Manutenção de um relacionamento ético com fornecedores, governos e demais stakeholders;
  • Respeito e conformidade às normas e regulações, sejam elas externas ou internas à empresa;
  • Incorporação dos princípios ESG à estratégia empresarial.

Principais desafios para implementação 

Ainda que seja grande a urgência para que as empresas entendam o que significa ESG e, com base nisso, mudem suas práticas, essa transição não é simples. Sobretudo porque, de acordo com o setor ou o porte do negócio, os níveis de maturidade no processo são bastante distintos. 

Ou seja, enquanto algumas corporações já estão adequando suas ações conforme as diretrizes ESG da matriz (especialmente as multinacionais), outras ainda buscam entender como a organização se enquadra em cada um dos três pilares.

O cenário é confirmado pelo estudo da Rede Brasil do Pacto Global sobre a evolução do ESG no Brasil. Segundo os dados apurados, o setor do agronegócio é o mais familiarizado com o que significa ESG (87% dos participantes). Em seguida, vêm os segmentos financeiro (85%), de energia (71%), alimentos e bebidas (54%) e moda e beleza (40%).

Portanto, para entender melhor o contexto atual e os principais desafios dos profissionais da área, a Blueprintt realizou, em maio de 2021, uma pesquisa qualitativa em todo o País. 

Os principais entraves apontados foram os seguintes:

    • Contratar profissionais com conhecimento sobre o que é ESG;
    • Identificar os gaps em cada pilar ESG;
    • Identificar as reais necessidades da companhia;
    • Identificar quais ações são de responsabilidade social e quais são filantrópicas;
    • Identificar os valores ESG dentro da organização;
    • Fazer uma gestão ESG eficiente baseada em dados;
    • Falta de budget;
    • Falta de adaptabilidade das soluções às necessidades da organização;
    • Aplicabilidade eficiente do conceito de economia circular.

 

Em nosso Programa Executivo de Imersão em ESG você verá cases de empresas que estão se transformando para incorporar os pilares do conceito às suas atividades cotidianas e, assim, aumentar sua competitividade. Inscreva-se aqui.

Sobre o autor

Artigos relacionados

Estratégias baseadas em grandes ideias vencem

Cadastre-se para receber mais artigos como este e domine sua função

Ao enviar este formulário você está concordando com nossos termos de uso e política de privacidade

Formulário enviado com sucesso

Clique para fechar

Condições especiais por tempo limitado. Apenas 35 vagas disponíveis. 

PROGRAma executivo de imersão em ESG

Saiba identificar os impactos nos 3 âmbitos do ESG e defina estratégias envolvendo todas as áreas da organização.

Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência com nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com tal monitoramento. Para mais informações, clique aqui.