Guia rápido sobre o que é Business Agility

o que é business agility
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Vivemos em um cenário onde a urgência impera, cada vez mais organizações investem milhões em inovação e tecnologia para sobreviverem nesse novo modelo de negócio. Para conviver com a urgência, é necessário ser ágil e se adaptar aos mais variados ambientes com o objetivo de não ficar para trás.

Dessa forma surge o conceito de Business Agility, que nada mais é que a capacidade de uma empresa se adaptar às demandas do mercado de maneira ágil e efetiva, dando fim aos processos burocráticos que a impede de crescer de forma rápida e eficaz.

Mais do que modelos e ferramentas, o conceito de Business Agility tem que ser o principal pilar na mudança de mindset. A mentalidade não deve ser de um único setor, como normalmente é designado à T.I, mas sim, de forma global para toda a empresa.

O que é Business Agility?

Conforme comentado acima, é um modelo que busca transformação para ser ágil, seja nas decisões, processos e nas entregas. É a capacidade de aprender rapidamente e de se manter flexível a fim de gerar inovações.

O grande desafio fica para as organizações que já têm um padrão estabelecido para realizar o planejamento anual e que enxergam a tecnologia como um modismo. A disputa com as novas empresas que nascem nessa era, como Spotify e Nubank, chega a ser desleal, mas esse é o preço que se paga por se agarrar demais ao modelo tradicional.

Um exercício simples para saber se a companhia está correndo para o mesmo caminho é pedir para os executivos e diretores de cada área fecharem os olhos e apontarem para onde eles acham que é o norte, ao abrir os olhos cada um indicará uma direção. Essa é a realidade das empresas, cada departamento está indo para um lugar diferente.

Isso acontece porque a organização não tem indicadores estratégicos, logo não sabe o caminho que ela está indo. O Business Agility vem para colocar todas as pessoas andando na mesma direção.

Na direção onde está o cliente e como melhor atendê-lo, é por isso que é fundamental expandir a atuação da agilidade por toda a empresa.

Neste momento algumas perguntas vêm à mente: quando uma empresa pode ser considerada ágil? Quanto tempo leva para se tornar ágil? Por onde começar? Quando terei retorno?

Continue lendo o artigo para refletir sobre essas questões essenciais.

Por onde começar?

Um ponto interessante é compreender que a agilidade no mundo dos negócios não é algo binário, não foque se ela é ágil ou não, mas sim o quão ela está sendo ágil e se é o suficiente para alcançar as metas.

Faça uma reflexão sobre quais são os pontos fracos ou os detratores que ofuscam a agilidade neste momento. Deixo uma dica: comece pelo contexto.

Quem são as pessoas envolvidas?

Como citado na reflexão com diretores e executivos, todos os líderes — pelo menos no início — devem estar alinhados com essa mudança de mindset. De imediato é importante envolver todos os colaboradores, sejam coordenadores, supervisores, analistas e etc., olhar para essa questão de uma forma mais circular é uma maneira de enaltecer a cultura da empresa.

Quando falamos em cultura, não basta estar na apresentação do Powerpoint ou nos totens espalhados pela empresa, é fundamental agir conforme está escrito, com o intuito de engajar todas as pessoas envolvidas no processo.

Quais são os benefícios?

De forma subjetiva, a empresa ganha com agilidade e consequentemente crescem as chances de ter um negócio bem sucedido. Trazendo mais penetração no mercado e um maior retorno econômico.

Se você preferir algo mais específico, pergunte aos clientes como está sendo a experiência para eles após a mudança, caso as respostas forem:

  • Um atendimento/ambiente menos burocrático, tornando a comunicação mais leve e rápida;
  • Mudança de cultura, estimulando a inovação;
  • Melhora na resolução dos problemas;
  • Atendimento mais focado no objetivo, investindo a energia de maneira certa, reduzindo distrações.

Pode ter certeza que a sua empresa está no caminho correto.

Sobre investimento e retorno

Com os exemplos acima, a pergunta mais coerente sobre investimento é o quão estratégico é esse tema para a companhia? As respostas dos benefícios são preponderantes para o próximo passo?

Com isso fica mais fácil saber onde a empresa deve se debruçar, seja na capacitação, investimento tecnológico, engajamento, entre outros.

O retorno é uma questão mais complexa, dependendo da forma em que a empresa investe, a resposta pode ser ágil, mas se não houver um conhecimento do próprio negócio, do mercado e da economia, pode demorar mais para acontecer.

Um exemplo: um tema que está em voga é o conceito de cidades inteligentes. Para você qual seria o investimento para tratar a marginal tietê? Feito isso, qual seria o retorno? São inúmeras possibilidades.

Business Agility nas áreas operacionais

Departamentos como RH, financeiro e processos podem usufruir desse conceito, pois, o principal objetivo do Business Agility é aumentar a efetividade e entregas da empresa através da agilidade no negócio.

Por que não utilizar internamente? Uma vez que softwares possibilitam a coleta e o uso de dados para tomar as melhores decisões, o RH é um público-alvo nesse quesito. Destacamos dois cenários:

Diz respeito à própria atuação do RH. Processos seletivos, gestão de pessoas e gerenciamento da marca;
Responsabilidade de propagar a nova cultura de pensamento ágil junto com a comunicação interna.

Vantagens de aplicar o conceito no RH:

  • Triagem de currículos;
  • Divulgação de vagas;
  • Aplicação de testes onlines;
  • Entrevistas com o candidato apto para a vaga;
  • Feedback de rejeição ou aprovação.

Por conta do novo coronavírus, o trabalho remoto se tornou a solução para muitas empresas. Foi um exemplo de ação ágil mediante a um problema, que muitas companhias avaliam como uma oportunidade para tocar adiante o negócio.

Quer saber mais sobre Business Agility? Seja ágil e não perca essa oportunidade! Acesse nosso site e se inscreva na 1ª turma do Programa Executivo de Imersão em Business Agility. Aguardamos você!

Sobre o autor

Artigos relacionados

Estratégias baseadas em grandes ideias vencem

Cadastre-se para receber mais artigos como este e domine sua função

Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência com nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com tal monitoramento. Para mais informações, clique aqui.