É preciso pensar no envelhecimento ativo das pessoas no ambiente de trabalho

envelhecimento nas empresas
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Vamos abrir uma roda de conversa sobre envelhecimento nas empresas?

 

Este tema deveria ser pauta obrigatória nos ambientes de trabalho e em seus programas de qualidade de vida, mas nem sempre isso ocorre. O tema aterroriza, principalmente aos mais jovens.

 

Precisamos ser preparados para questões óbvias como o envelhecimento, pois é um processo natural, ao qual todos nós estamos submetidos.

 

Tratar o envelhecimento como doença ou problema é a chave para desencadear estereótipos, preconceitos, discriminação e medo de se tornar velho.

 

Envelhecimento ativo

 

O termo envelhecimento ativo foi adotado pela Organização Mundial da Saúde no final dos anos 90, visando a transmitir uma mensagem mais abrangente do que é envelhecimento saudável.

 

Também visava reconhecer, além dos cuidados com a saúde, outros fatores que afetam o modo como os indivíduos e as populações envelhecem (Dr. Alexandre Kalache e Kickbusch).

 

A abordagem do envelhecimento ativo baseia-se no reconhecimento dos direitos humanos das pessoas mais velhas.

A Organização das Nações Unidas (ONU) prevê 18 direitos das pessoas idosas em relação aos princípios da:

 

  1. Independência;
  2. Participação;
  3. Cuidado;
  4. Autorrealização;
  5. Dignidade.

 

“Uma sociedade para todas as idades possui metas para dar aos idosos a oportunidade de continuar contribuindo com a sociedade. Para trabalhar neste sentido é necessário remover tudo que representa exclusão e discriminação contra eles”, diz o parágrafo 19 do Plano de Ação Internacional sobre o Envelhecimento, elaborado em 2002 em Madrid.

 

Ônus demográfico em 2050

 

No ano de 2050 teremos o ônus demográfico. Estamos preparados?

 

A razão de dependência demográfica, a soma da “População Inativa”, jovem e idosos, dividida pela “População Economicamente Ativa” (A+C)/B, determina o ônus ou o bônus demográfico. A queda da mortalidade leva a um aumento da razão de dependência.

 

Em nosso País, isso ocorreu nas décadas de 1950 e 1960, mas após 1970 a razão de dependência começou a cair, até chegar ao nível de 50 dependentes para cada 100 indivíduos em idade ativa, no período de 2010 a 2030.

 

Esta menor carga de dependência é denominada de bônus demográfico.

 

A partir de 2030 a razão de dependência começará a subir. Portanto, a oportunidade de desenvolvimento de ações que resgatem carências históricas é agora!

 

Após 2050, caso o período de bônus não tenha sido aproveitado passaremos a ter o ônus demográfico.

 

Trata-se de uma população envelhecida, com indicadores educacionais sofríveis, dinamismo socioeconômico comprometido, doente, que precisará retornar ao trabalho para garantir assistência à saúde.

 

 

Estratégia para o envelhecimento nas empresas

 

Assim, os planejamentos estratégicos deveriam deixar de focar as pessoas mais velhas como alvos passivos, e passar a ter uma abordagem baseada em direitos.

 

Isso permite o reconhecimento dos direitos dos mais velhos à igualdade de oportunidades e tratamento em todos os aspectos da vida à medida que envelhecem.

 

Todos, inclusive e principalmente, no trabalho.

 

Haverá a necessidade de repensar o modelo adotado hoje em algumas empresas que só abordam esse tema, envelhecimento, quando próximo à aposentadoria, desenvolvendo ações corretivas e sem efetividade.

 

O realinhamento da ação passa pela adoção do “Processo de Melhoria Contínua Para a Vida e Trabalho” (1998-JLL).

 

Nesse modelo, é preciso colocar à disposição dos empregados, desde a contratação, uma série de opções de aprendizagem sobre todos os fatores componentes da qualidade de vida e permitir que esse empregado usufrua dessas informações durante sua permanência na empresa.

 

E aí, qual sua opinião sobre este tema?

 

Compartilhe seu comentário conosco.

 

Aliás, já escrevi sobre a importância da diversidade nas empresas e o papel do RH na inclusão de LGBTI no mercado de trabalho.

 

Convido vocês à leitura.

Sobre o autor

Artigos relacionados

Estratégias baseadas em grandes ideias vencem

Cadastre-se para receber mais artigos como este e domine sua função

Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência com nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com tal monitoramento. Para mais informações, clique aqui.