Como fomentar a cultura do home office nas organizações?

Cultura do home office
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Com a pandemia do novo coronavírus, a maioria das empresas adotou o home office como uma saída a fim de não suspender por completo suas atividades. Olhando de forma superficial parece uma adaptação fácil, afinal, os colaboradores estarão em casa trabalhando. Mas, o maior desafio não é a adaptação ao ambiente, e sim, como a empresa encara essa transformação que impacta diretamente na cultura do negócio.

As dores são semelhantes, horário de trabalho, monitoramento de atividade, saúde mental, dentre outras. Então por que algumas empresas se dão melhor que outras? A resposta é a cultura do home office previamente fomentada.

Alguns gestores perceberam que não bastava entregar um notebook e o acesso ao sistema para o colaborador performar, tiveram que realizar um trabalho de base, com foco na cultura.

Para que a transformação acontecesse foi necessário uma modernização cultural baseado em alguns atributos:

  • Descentralização;
  • Agilidade;
  • Autonomia;
  • Simplicidade nos processos.

Chegou o momento de refletir o que a empresa precisa mudar para alcançar resultados diferentes. Separamos 6 etapas para que o processo ocorra de maneira mais orgânica:

  1. Reflexão: o que nos fortalece e o que devemos mudar na nossa cultura?
  2. Escutar os funcionários para entender as reais necessidades.
  3. Priorizar os atributos da cultura.
  4. Autonomia com responsabilidade.
  5. Líderes desenvolvendo novos líderes.
  6. Simplicidade para ter menos burocracia.

Esses passos não servem somente para a cultura do home office. O ideal é que a organização tenha em mente que para mudar um comportamento é necessário realizar o trabalho de base. Caso a sua empresa já atue com essa linha de pensamento a adaptação para o trabalho remoto como cultura será bem mais fácil.

Antes de entrar de fato na cultura do home office, destaco três pilares que irão te auxiliar durante o processo.

  • Comportamento aderente aos atributos;
  • Símbolos: o home office é um símbolo que representa a mudança cultural;
  • Sistemas: para ter uma empresa com mais autonomia, precisa ter menos hierarquia.

“A transformação cultural não é um processo de RH. É um projeto de todo mundo, principalmente da liderança. A liderança tem que se comportar diante tudo isso que a gente prega”.

Depoimento de Ana Brant, HR Business Partner Leader da Gerdau no Programa Executivo de Imersão para HR Business Partners.

Cultura do Home Office

Ainda que a empresa siga um modelo de cultura mais atual, deixando os métodos tradicionais de lado, muitos gestores resistem à mudança do trabalho presencial para o remoto.

Com a resistência, surgem as dúvidas. Por exemplo, líderes que acham que não vai dar certo, incerteza sobre a produtividade e gestores que não têm o hábito de fazer home office, acabam inibindo as equipes de fazerem.

Mesmo que não seja positivo, é importante entender o “porquê” desse pensamento para atacar como ponto focal na mudança. Mas com a pandemia, o home office é uma realidade e a questão é como torná-lo mais produtivo e saudável para empresa e colaboradores.

Primeiro que, se a empresa já tinha uma cultura de autonomia, métodos ágeis, simplicidade e flexibilidade, a produtividade dificilmente será impactada.

Com isso, líderes que não acreditavam, começam a perceber uma oportunidade positiva para o negócio.

Desenvolva um manual de boas práticas de home office para ajudar todos os colaboradores, com temas referentes a horários, pausas, saúde mental, dicas de TI para possíveis dúvidas na utilização das ferramentas, dentre outros.

Por fim, e talvez o mais importante, crie uma política de home office. Além de se estabelecer de vez dentro da cultura da empresa, irá ajudar na volta dos funcionários — caso queiram — ao escritório.

Faz parte da estratégia não sair da crise da mesma forma que a empresa entrou e adaptar as necessidades dos colaboradores aos desafios do negócio. Adotar medidas como diminuir as cadeiras no escritório estimulando as pessoas a fazerem home office, com isso, permitir que 20% da equipe fique trabalhando de casa, utilização de aplicativos para reservar o local no escritório e sempre ir realizando pesquisas com todos colaboradores com foco em: produtividade no home office e saúde mental a fim de aprimorar as estratégias.

Benefícios do trabalho remoto

Separamos 8 benefícios que a empresa e o funcionário ganham ao adotar o trabalho remoto:

  • Aumento da produtividade da equipe;
  • Diminuição da ocorrência de atrasos;
  • Maior flexibilidade de organização;
  • Redução custos sociais e fiscais;
  • Geração de autonomia para o time;
  • Segurança de contratações mais efetivas;
  • Conformidade com a nova Lei Trabalhista.

Gostou e quer saber mais? Acesse o site e conheça o programa Executivo de Imersão em Home Office. Clique aqui para mais informações.

Sobre o autor

Artigos relacionados

Estratégias baseadas em grandes ideias vencem

Cadastre-se para receber mais artigos como este e domine sua função

Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência com nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com tal monitoramento. Para mais informações, clique aqui.

IMERSÃO EM HOME OFFICE
Condições especiais por tempo limitado. Apenas 35 vagas disponíveis