Como melhorar o relacionamento com os sindicatos

relacionamento com os sindicatos
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A pandemia de Covid-19 trouxe, além de implicações sanitárias e sociais, um grande desafio para as empresas no relacionamento com os sindicatos. Isso porque interesses econômicos e trabalhistas foram impactados diretamente pela necessidade de distanciamento social. 

Nesse contexto de crise, a união de empresas e sindicatos teve papel fundamental para mitigar perdas financeiras dos negócios e manter os postos de trabalho. Segundo uma pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), 55% dos acordos coletivos registrados entre março e junho de 2020 possuíam cláusulas relacionadas à Covid-19

Entretanto, ao mesmo tempo em que ganhou relevância ainda maior em um momento crítico, o gerenciamento das Relações Trabalhistas e Sindicais passou a enfrentar um cenário atípico. Afinal, todo o contato passou a acontecer a distância.

A seguir, veja as sensibilidades dessas novas circunstâncias e as oportunidades para que o relacionamento com os sindicatos permaneça sólido.

Relacionamento com os sindicatos a distância: pontos de atenção

Por ser um ambiente em constante evolução, a internet tem particularidades e complicadores. Se, por um lado, agiliza e facilita processos, por outro torna o contato um tanto impessoal.

Assim como pode alcançar bilhões de pessoas, pode também excluir quem não estiver conectado à rede. E tudo isso pode afetar o gerenciamento das Relações Trabalhistas e Sindicais.

Falta do contato presencial

Sem dúvida alguma, essa é a mais óbvia, porém mais importante consequência para o relacionamento com os sindicatos. Só o contato presencial permite uma leitura mais ampla de um contexto e das pessoas envolvidas. Expressões faciais, tom de voz e linguagem corporal são componentes subjetivos indispensáveis para “sentir o clima” de uma negociação, por exemplo.

O relacionamento a distância, evidentemente, torna essa experiência incompleta. Mesmo em uma videoconferência, geralmente não vemos sequer o gestual dos nossos interlocutores.

Sem contar que, muitas vezes, nem todos os participantes estão com suas câmeras abertas. Esses aspectos prejudicam a sensação de proximidade.

Ruídos de comunicação no relacionamento com os sindicatos

Uma comunicação via e-mail ou WhatsApp requer tanto ou mais cuidado do que uma conversa cara a cara. Isso porque, sem a leitura dos aspectos subjetivos citados acima, uma palavra ou expressão pode facilmente ser mal interpretada e prejudicar o relacionamento com os sindicatos.

Nas videoconferências, bastante sujeitas à qualidade do serviço de internet, ruídos de comunicação também podem acontecer. Seja pelo famoso delay, pela dificuldade de conexão ou mesmo pela pouca familiaridade dos profissionais dos sindicatos com as ferramentas digitais.

Resistência à evolução tecnológica

Nem todo mundo se sente à vontade com a internet e as diversas ferramentas digitais. E não é só isso: muitos se recusam a usá-las. E esse é um dos maiores entraves se tratando de relacionamento com os sindicatos.

De acordo com Ricardo Calcini, professor de Pós-graduação de Direito do Trabalho da FMU, o momento exige flexibilidade. “Os sindicatos devem pensar na categoria representada, mas também nos postos de trabalho das pessoas. Não adianta dificultar a negociação. Neste momento excepcional se justifica um comportamento atípico, de modo que a relação perdure ao longo do tempo.”

Falta de infraestrutura adequada

Muitos sindicatos, especialmente os menores, não dispõem de uma boa infraestrutura. Mas com a chegada da pandemia, essas entidades se viram ainda mais pressionadas a aderir à digitalização.

Na teoria, computadores e uma conexão com a internet já eram ferramentas importantes. Agora, na prática, são primordiais para as atividades cotidianas dos sindicatos. Dificuldades na aquisição de equipamentos e escassez de profissionais habilitados a operá-los, no entanto, podem representar um grande obstáculo ao relacionamento com os sindicatos.

Como manter a confiança a distância

O relacionamento a distância não trouxe só dores de cabeça, é claro. Comunicação mais rápida, flexibilidade e eficácia para resolver conflitos são alguns dos ganhos desse novo modelo de gerenciamento das Relações Trabalhistas e Sindicais.

Veja como extrair o melhor dessa conjuntura e manter a confiança em alta no relacionamento com os sindicatos.

Explore novos meios de negociação

É importante frisar que o objetivo do relacionamento virtual não é substituir o contato presencial, mas ser uma alternativa a ele. Principalmente em uma negociação ou resolução de conflitos, tão comuns no relacionamento com os sindicatos, o olho no olho sempre será a melhor opção.

Isso não quer dizer que as ferramentas virtuais não possam ajudar. Assembleias gerais por videoconferência, comunicações pontuais via e-mail e WhatsApp podem facilitar o compartilhamento de informações e acelerar o processo de tomada de decisão.

A transparência que os meios digitais proporcionam é extremamente útil para fortalecer a confiança entre empresas e sindicatos.

Priorize o bem comum

Assim como para a empresa é fundamental garantir sua viabilidade financeira, para os sindicatos é essencial zelar pelos direitos dos trabalhadores. Conciliar esses dois aspectos no relacionamento com os sindicatos só é possível a partir de uma linha de diálogo equilibrada e eficiente.

Para Calcini, neste cenário de enfrentamento da pandemia deve haver uma mudança de comportamento e de cultura. “O sindicato, para voltar a crescer, deve mostrar ao seu representado que está negociando para manter a atividade econômica e promover aquela categoria. É preciso manter uma relação que justifique e dê embasamento aos direitos dos trabalhadores”, afirma.

Por isso, não importa se o meio escolhido é presencial ou virtual, desde que o foco da cooperação entre empresas e sindicatos seja o bem comum. Uma relação de ganho mútuo sempre inspira confiança.

Aproveite a facilidade de contato

As reuniões e assembleias virtuais, além de economizar recursos e tempo de deslocamento, permitem que mais pessoas sejam incluídas nos processos decisórios. Isso colabora para que os trabalhadores se aproximem mais da empresa e dos próprios sindicatos.

Use os canais digitais disponíveis para compartilhar informações e engajar não apenas os funcionários, mas também os sindicatos, na busca por acordos e negociações que beneficiem a todos.

Reavalie a comunicação e o relacionamento com os sindicatos

Por fim, encare o relacionamento remoto como uma oportunidade de aprimorar e fortalecer o trabalho da área de Relações Trabalhistas e Sindicais.

Analise quais canais e ações tiveram o melhor desempenho e considere incorporá-los ao dia a dia do relacionamento com os sindicatos no pós-pandemia. Avalie os aprendizados obtidos no período, bem como os erros cometidos.

Quer encontrar mais caminhos para os desafios atuais? Participe do Programa de Imersão em Relações Trabalhistas e Sindicais!

Sobre o autor

Artigos relacionados

Estratégias baseadas em grandes ideias vencem

Cadastre-se para receber mais artigos como este e domine sua função

Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência com nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Ao continuar navegando, você concorda com tal monitoramento. Para mais informações, clique aqui.